Umanizzare é apontada como a ‘galinha dos ovos de ouro’ de Silas Câmara, diz site

Volta e meia o deputado Silas Câmara tem sido apontado como beneficiário de verbas públicas - foto: divulgação

Não bastasse a denúncia da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, ao Supremo Tribunal Federal pedindo a condenação do deputado Silas Câmara (PRB-AM), presidente da bancada evangélica na Câmara, em razão de acusação de peculato na apropriação de salários de seus servidores que somam R$ 145 mil e nomeação de funcionários fantasmas, em abril desse ano.

Agora o deputado é apontado como integrante de uma suposta ‘bancada da Cela”, um grupo de parlamentares beneficiários de recursos de empresas administradoras de presídios no País. Ou seja, a ‘galinha dos ovos de ouro’ do deputado, pode ser a empresa de gestão penitenciária Umanizzare que volta e meia aparece no noticiário policial do Estado e do restante do Brasil e, que mantem contrato com os governos desde 2014.

No Amazonas, o deputado Silas Câmara pode ter recebido mais de R$ 1 milhão para a sua campanha das eleições 2018. A notícia estourou junto com o massacre no último final de semana, nos presídios da capital amazonense.

A gestora privada de presídios Umanizzare viu massacre no AM de braços cruzados – foto: divulgação

A seguir, reportagem publicada pelo Site Fato Amazônico, do jornalista Elcimar Freitas:

Silas Câmara e família receberam da Umanizzare quase R$ 1 Milhão para financiamento de campanha, diz site

Não é novidade pra ninguém no Amazonas e no restante do país que o deputado Silas Câmara, que é pastor da igreja evangélica, Assembleia de Deus e, de quebra, jornalista profissional, é o principal expoente da chamada “bancada da jaula”, como publicou na quarta-feira, 29, o site Brasil de Fato.

Silas Câmara, conforme ressaltou o site, defende no Congresso Nacional os interesses das empresas que querem atuar no setor, por meio da privatização do sistema penitenciário ou da terceirização das atividades nas unidades prisionais.

E por que o “bom pastor” se tornou amiguinho da “bancada da jaula” em Brasília?

A resposta, claro, é do conhecimento de todos: por quê é rentável, por que a patota atua na gestão dos presídios brasileiros, como a Umanizzare Gestão Prisional e Serviços Ltda., velha conhecida do amazonense, tem cacau, cacife financeiro, dólar, grana no bolso, nos bancos, debaixo do colchão e lugares desconhecidos.

E foi justamente da dona Umanizzare que Silas e família (Antônia Lúcia Câmara (PSC), esposa e Gabriela Ramos Câmara (PSC), filha), faturaram em doações de campanha dos três R$ 750 mil, em 2014.

É ou não é rentável? Dá não dá grana?

A Umanizzare Gestão Prisional e Serviços Ltda., que administra os seis presídios de Manaus Complexo Anísio Jobim (Compaj), Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), Unidade Prisional do Puraquequara (UPP) e Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM1), faturou R$ 836 milhões nos últimos cinco anos em contratos de gestão, pagos com recursos públicos, claro.

Fato Amazônico

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui