Acreano é acusado de invadir área de Machu Picchu para defecar

Foto: Divulgação

Um grupo de seis turistas foi preso no último domingo (12) acusado de invadir uma área restrita da cidade de Machu Picchu, danificando o Templo do Sol. Eles são suspeitos de defecarem no local sagrado. Entre eles, há cidadãos do Brasil, França, Chile e Argentina. Um dos envolvidos seria um acreano.

Em comunicado oficial, Wilbert Leyva, chefe de polícia de Cusco, afirmou: “Os seis turistas foram detidos e estão sendo investigados pelo Ministério Público pelo suposto crime contra o patrimônio cultural”.

“Os turistas estão sendo investigados pelo suposto crime contra o patrimônio cultural”, disse o chefe de polícia de Cusco
Segundo Levya, as autoridades atestaram “a fissura de um elemento lítico, que caiu de um muro e provocou uma fenda no piso” no Templo do Sol. Somado a isso, material fecal foi encontrado no local.

A direção regional de Cultura de Cusco, região onde Machu Picchu está localizada, aponta isso como evidência de que os turistas defecaram no templo.

O grupo era formado por quatro homens e duas mulheres. No momento da prisão, eles estavam na área do mirante do Templo do Sol e os agentes atribuídos a eles causaram a queda de uma pedra de uma das muralhas da cidadela, erguida no topo de uma montanha.

Além disso, na área, a polícia encontrou restos fecais, por isso presume que alguns dos detidos fizeram suas necessidades biológicas nessa área.

Machu Picchu é o principal destino turístico do país e todos os dias é visitado por milhares de viajantes, que acessam o local de trem pela cidade de Cusco, localizada 1.165 quilômetros a sudeste de Lima.

Após a prisão, após uma avaliação feita pelo chefe do Parque Arqueológico de Machu Picchu , soube-se que uma pedra do Templo do Sol havia caído. “Foi verificada a fratura de um elemento lítico, que rompeu uma parede que caía e causava uma fenda no chão”, relataram após inspeção. “Além disso, restos fecais foram encontrados em uma área adjacente. (Foto: Internet)

O chefe da Região Policial de Cusco, Wilbert Leyva, disse à agência estatal andina que os turistas estão detidos na delegacia do distrito de Machu Picchu e que são investigados pelo Ministério Público pelo suposto crime contra o patrimônio cultural.

O Departamento de Cultura de Cusco relatou a fratura de um elemento lítico destacado de uma parede e que caiu de uma altura de aproximadamente 6 metros, causando uma rachadura no chão.

Por sua vez, o chefe do Parque Arqueológico Nacional de Machu Picchu, José Bastante, solicitou à Polícia que agilizasse as investigações para determinar a responsabilidade dos agressores e, se aplicável, ser sancionada.

Fonte: O Alto Acre

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui