Amazonas Destaques Formal & Informal

Pacote de acusações, assédio, ameaças para derrubar o prefeito Romeiro Mendonça

Servidora municipal de Presidente Figueiredo, Kamila Fernandes - foto: divulgação
Redação
Escrito por Redação

A servidora municipal Kamila Fernandes, que ficou famosa por denunciar um ex-secretário de Turismo de Presidente Figueiredo por ‘assédio sexual’ em novembro de 2017, volta às redes sociais dizendo que ela tem uma bomba relógio em mãos, que pode implodir o cenário político do município a qualquer momento.

Kamila revela em vídeo, um complô existente entre o vereador Ricelli Pontes (PDT) e o dono da empresa Ecoagro que faz a coleta de lixo urbano, Marcelo Palhano para derrubar a liderança política do ex-secretário de Turismo Alexandre Lins e envolver o prefeito Romeiro Mendonça na questão. Alexandre é o principal apoiador político do prefeito e provável sucessor na prefeitura de Presidente Figueiredo em 2020.

Ameaças e assédio

A servidora municipal afirma que está se sentindo ameaçada pelo empresário do Lixo e o vereador do PDT, dizendo que de dezembro para cá, recebeu oferta de emprego, oferta em dinheiro e a garantia de que não iria ficar desempregada, tudo para não mostrar os documentos que comprovariam um hipotético movimento político que tem como fim a queda do prefeito Romeiro Mendonça.

Servidora municipal de Presidente Figueiredo, Kamila Fernandes – foto: divulgação

“A oposição é dentro da própria administração Romeiro Mendonça”, afirma a ex-funcionária municipal que se diz perseguida nas redes sociais, mas que tem provas do que disse espalhadas por vários pontos da cidade, caso ‘alguma coisa’ venha aconteça com ela.

Ela chegou a oferecer as provas aos advogados do prefeito e disse que já foi na delegacia de polícia. “Eu tenho todas as provas, tudo detalhado, para quem quiser conhecer a verdade da manobra feita contra o prefeito”, disse, desafiando quem quiser desmenti-la.

Lixo

Existe uma informação ainda não confirmada, de que o prefeito Romeiro Mendonça ordenou à Guarda Municipal que impedisse o acesso dos caminhões coletores da empresa Ecoagro aos locais de coleta e despejo do lixo da cidade. Certamente ele conseguiu algum efeito suspensivo à liminar impetrada semana passada pela Ecoagro, através de recurso naquela decisão.

Assista o Vídeo:

 

——————————————————————————————————

Sobre as informações publicadas em rede social pela Empresa Ecoagro Comércio e Serviços Ambientais, de que a mesma teria retomado os serviços de limpeza pública no município, a Prefeitura Municipal de Presidente Figueiredo vem a púbico esclarecer que tais afirmações são improcedentes e que o retorno repentino da prestadora à cidade se deu de forma arbitrária e inteiramente abusiva, no intuito claro de onerar e tumultuar o trabalho assumido pelo Executivo Municipal desde o dia 14 deste mês, após a empresa ter abandonado o serviço.

A respeito de uma liminar representada pela Ecoagro na Comarca de Presidente Figueiredo, solicitando a suspensão do Decreto Municipal que rescindiu o contrato de serviços entre a empresa e a prefeitura no início deste mês, a atual gestão informa que o pedido foi derrubado pela Justiça e que, portanto, a prefeitura cumprirá rigorosamente o que foi determinado pelo Poder Judiciário. Isso significa que que a atuação inesperada da Ecoagro no município não possui nenhum respaldo legal.

Com relação a medida cautelar interposta pela Ecoagro junto ao Tribunal De Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), que também pede a suspensão do Contrato nº 043/2017 e do Decreto de Intervenção Municipal nº 2619 de 12 de novembro de 2018, referentes ao cancelamento do contrato com a empresa, a atual gestão informa que recebeu a notificação do TCE no fim da tarde desta quinta-feira (29) e que já prestou os devidos esclarecimentos, mesmo dispondo de mais cinco dias úteis para responder os questionamentos do órgão.

Vale destacar que a medida adquirida pela empresa junto ao TCE se deu por meio de informações mentirosas, entre elas de que a prefeitura está pendente com o pagamento desde o mês de março. Já à Comarca de Presidente Figueiredo, a empresa se contrariou em seus argumentos afirmando que o pagamento está atrasado desde o mês de agosto, e não de março como informou ao TCE, deixando explícito que não se pauta pela verdade e que se dispõe a todo o custo a atrapalhar o trabalho da prefeitura e provocar o caos no município.

É importante esclarecer, mais uma vez, que a decisão pela rescisão do contrato com a empresa Ecoagro não ocorreu de forma injusta como foi especulado, mas sim, devido à falta de comprometimento da prestadora, com relação ao pagamento de salários dos funcionários terceirizados e em razão dos inúmeros prejuízos que causou ao município, no momento em que, sem nenhum respeito à população, deixou os moradores desassistidos por 5 dias consecutivos, obrigando a prefeitura a fazer contratações em caráter emergencial, para que os serviços não permanecessem paralisados.

Feito esses esclarecimentos, a prefeitura reitera que os serviços de limpeza pública no município seguem sendo executados normalmente pela Secretaria Municipal de lnfraestrutura e Serviços Públicos (Semisp) e que, desse modo, os funcionários podem permanecer tranquilos quanto ao que foi acordado no contrato de trabalho. Por fim, a prefeitura reforça o seu compromisso com a população de Presidente Figueiredo, ficando à disposição para esclarecer quaisquer dúvidas sobre assuntos relacionados a administração pública.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.