Africanos são bicampeões da São Silvestre

Sandrafelis Chebet e Belay Bezabh são bicampeão da São Silvestre — Foto: Marcos Ribolli

Quase que o jejum de títulos do Brasil na São Silvestre chega ao fim nesta sexta-feira (31). De volta ao calendário esportivo após o cancelamento em 2020, a 96ª edição da São Silvestre teve corredores da África, campeões da prova em 2018, novamente no topo do pódio.

No masculino o etíope Belay Bezabh ultrapassou o brasileiro Daniel Nascimento no quilômetro final para sagrar-se campeão com 44m54. No feminino, Sandrafelis Chebet dominou de ponta a ponta e completou a prova em 50s07.

A largada da elite masculina e do pelotão geral foi às 8h05 (de Brasília). Diferentemente do feminino, os homens mantiveram um pelotão maior, com cerca de 15 atletas, nos primeiros quilômetros de prova.

O grupo foi se reduzindo até quatro corredores, com o queniano Elisha Rotich, o boliviano Hector Flores, o etíope Belay Bezabh e o brasileiro Daniel do Nascimento. Após um tempo, Daniel e Bezabh se alternaram na liderança. O brasileiro, porém, sentiu o cansaço no aclive e caiu para a segunda colocação, que manteria até o fim (45m09). Bezabh cruzou na frente, com 44m54, para selar o bicampeonato.

“Há dois anos, eu falei que ia evoluir muito. Agora eu consegui o segundo lugar na São Silvestre, e vamos continuar evoluindo”, disse Daniel, representante do Brasil na Maratona nas Olimpíadas de Tóquio e 11º colocado na última São Silvestre, em 2009.

Bnews

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui