Amazonas tem 62 casos confirmados de Influenza A – H1N1

Novo Boletim Epidemiológico n° 04 da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) aponta 62 casos da doença - foto: DA

Foi divulgado nesta segunda-feira (4) o Boletim Epidemiológico n° 04 da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) que apontou 276 casos da síndrome gripal no Amazonas. Deste número, foram confirmados 62 para o Vírus da Influenza A (H1N1) e 33 para Vírus Sincicial Respiratório (SRV). Os dados são da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM).

Segundo o o boletim, são 16 óbitos por H1N1 – sendo 12 em Manaus, dois em Manacapuru, um em Parintins e um en Itacoatiara. Outros quatro óbitos foram confirmados por Vírus Sincicial Respiratório, sendo três de Manaus e um no município de Borba, no Amazonas.

Dos 20 óbitos registrados por SRAG, 75% apresentavam fator de risco, com destaque para pessoas com diabetes, pneumopatas, pessoas com obesidade e neoropatas.

O Governo do Estado decretou estado de emergência por conta da gripe e solicitou ao Ministério da Saúde antecipação, para março, da campanha de vacinação, já que a mesma estava prevista apenas para o mês de abril.

Novo Boletim Epidemiológico n° 04 da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) aponta 62 casos da doença – foto: DA

De acordo com o Governo do Amazonas, o ministro da saúde, Luiz Mandetta, prometeu antecipar, para a segunda quinzena de março, a campanha de vacinação no estado. Segundo a FVS, a população alvo para ser imunizada no Amazonas é de 1.115.581 pessoas.

Adiretora-presidente da FVS informou que a campanha vai disponibilizar em todo o estado, 1.535 postos de vacinação, com a atuação de mais de 4 mil profissionais.

Orientação e prevenção – Diante dos sintomas de gripe forte, a orientação é procurar uma unidade de saúde perto de casa. As secretarias estadual e municipal de saúde reforçaram suas unidades com o antiviral e toda a rede da capital e do interior está abastecida. A Prefeitura de Manaus anunciou a ampliação da dispensação do medicamento para 23 unidades básicas de saúde, inclusive as que operam com horário ampliado.

Secretaria de Saúde antecipou para março, a campanha de vacinação – foto: divulgação

De acordo com a diretora do departamento de vigilância ambiental da Semsa, enfermeira Marinélia Ferreira, a medicação só pode ser prescrita com avaliação médica. “Diante dos sintomas, deve-se procurar um profissional para ser avaliado”, aconselhou.

Em relação aos sintomas da Influenza, a mesma é considerada uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório, caracterizada por febre alta de início súbito, acompanhado por intensas dores musculares e articulares, dor de cabeça, dor de garganta e coriza.

Os sintomas podem evoluir para falta de ar e outras complicações respiratórias. As pessoas que possuem algum fator de risco para complicações ou alguma imunodeficiência possuem um risco maior e podem apresentar complicações respiratórias associadas à infecção viral.

Fonte: FVS-AM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui