Apesar da chuva Marcha da Maconha reúne 10 mil pessoas no Rio

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Mesmo com chuva, a 12ª Marcha da Maconha do Rio reuniu neste sábado cerca de 10 mil pessoas, segundo os organizadores. A manifestação ocupou as duas pistas da Avenida Vieira Souto, em Ipanema, em direção a Copacabana, na zona sul do Rio. Para o vereador do PSOL Renato Cinco, coordenador da marcha, que defende a liberação da maconha, a proibição, além de provocar a violência e a corrupção, cria um mercado fora de controle e impede que pessoas que necessitam dela para uso medicinal tenham acesso à planta.
O vereador carioca defendeu a regulamentação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o uso da maconha como medicamento.
“Acho que o debate está avançando muito. Na verdade o grande obstáculo no Brasil para novos avanços é a bancada fundamentalista do Congresso Nacional, que impede o avanço de qualquer pauta libertária”, disse Renato Cinco.
Na avaliação do deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), o Congresso precisa “jogar com honestidade” na discussão do tema da legalização da maconha e ouvir mais a ciência com referência ao uso da planta para fins medicinais.
“Não se ouve os especialistas. O próprio escritório da ONU para drogas e criminalidade aponta que a guerra às drogas foi ineficaz, porque produziu um número muito grande de mortes e o consumo não caiu”, disse o deputado.
Os blocos “Planta na Mente” e “Nada Deve Parecer Impossível de Mudar” participaram da marcha puxando músicas que eram acompanhadas pelos manifestantes.
Uol

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui