Brasil caminha para ter a ‘maior catástrofe sanitária mundial do século XXI’

Miguel Nicolelis prevê catástrofe caso não feche o comércio - foto: montagem/recorte

O neurocientista voltou a alertar as autoridades pela adoção de medidas mais restritivas para conter o contágio do coronavírus. Nesta terça-feira, o País bateu recorde de mortes, com 1.641 óbitos.

O médico e neurocientista Miguel Nicolelis fez nesta terça-feira (3) um novo alerta para a catástrofe sanitária que está em curso no Brasil, no dia em que o país registrou um novo recorde de mortes diárias por coronavírus, com 1.641 óbitos.

“Ou o Brasil se tranca por pelo menos 3 semanas e amplia o número de vacinados de forma radical, ou nos transformaremos na maior catástrofe sanitária mundial do século XXI em poucos meses”, disse Nicolelis pelo Twitter.

O cientista também criticou o estado de São Paulo, que bateu recordes de mortes nesta terça-feira e ainda não decretou uma restrição mais severa para reduzir o contágio. “Não tem mais como justificar escolas em SP abertas no meio de uma pandemia fora de controle e um colapso iminente do sistema de saúde do estado mais rico do BR. Escolas tem que fechar imediatamente para evitar uma tragédia ainda maior”, afirmou.

Com o novo recorde de mortes diárias, o total de óbitos por Covid-19 chegou a 257.361 no Brasil.  No último dia foram também contabilizados 59.925 casos de infecção pelo coronavírus, totalizando 10.646.926.

Para além dos números, o país tem, em diversas regiões, hospitais com leitos de UTI lotados, como é o caso do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, por exemplo. Em Porto Alegre, o Hospital Moinhos de Vento precisou comprar um contêiner para colocar os pacientes mortos pela Covid-19.

Brasil 247

Lockdown não é palavrão:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui