“Cai o arauto da moralidade no Estado”, afirma movimento de centro esquerda, sobre Serafim Corrêa

Serafim Corrêa (destaque), Marcelo Serafim no palanque dos outros - foto: recorte/vídeo

O deputado estadual, Serafim Corrêa (PSB), é questionado por integrantes dos partidos de centro esquerda, sobre a sua mudança de atitude e de lado, às vésperas da eleição e o seu apoio repentino à direita, inclusive defendendo propostas altamente questionadas pela população do Amazonas.

De acordo com informações, a mudança de atitude de Serafim seria uma moeda de troca, uma barganha para facilitar a candidatura do seu filho, Marcelo Serafim. Daí ter traído, inclusive os seus princípios e discurso de parlamentar combativo de esquerda.

No dia 06 de setembro, ele foi pessoalmente ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), para pedir a retirada de um vídeo da propaganda da candidata a deputada federal, Dra. Ieda Cardoso (PSB), que falava dos problemas de atendimento causados durante a pandemia no Estado, o que gerou desconfiança sobre o direcionamento que o deputado está pretendendo dar à sua atuação parlamentar.

Mudança de atitude em nome do filho (Marcelo Serafim) – foto: recorte/vídeo

Pulada de muro

As pessoas que entraram em contato com o Portal Correio da Amazônia, disseram que preferiam não se identificar, neste primeiro momento, para não levantar mais questionamentos e polêmicas sobre a ‘pulada de muro’ e a quebra de acordo do deputado Serafim Corrêa.

“Ele, mais uma vez, coloca um hipotético apoio à eleição do seu filho, acima dos interesses do Estado, do seu mandato e da população do Amazonas”, lamenta. Pior, Serafim teria aceitado proposta de candidato da direita, Wilson Lima (União Brasil), quando estava fechado com o Solidariedade, para o governo do Amazonas.

Problemas que afetam a população

Sendo de um partido de esquerda, Serafim jamais poderia desautorizar a candidata a deputada federal, Dra. Ieda Cardoso, a falar sobre os problemas que afetaram a população do Amazonas durante a pandemia do Covi-19. Principalmente quando esses problemas foram criados por quem ele hoje fecha parceria.

“Sendo um homem honrado, combativo, ele jamais poderia ter ido ao Tribunal Eleitoral pedir a retirada desse vídeo. Triste fim de um Arauto da moralidade no Amazonas”, lamenta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui