Cerca de 500 alunos da rede pública são aprovados nos vestibulares da UEA

Foto: Eduardo Cavalcante

Conquistar a tão sonhada vaga na universidade pública não é tão simples. Conquistar uma vaga em Medicina, um dos cursos mais concorridos nos vestibulares, é mais difícil ainda. Entretanto, a quase universitária Bárbara Nascimento, de 17 anos, conseguiu e vai ser a primeira médica da família. Ela e outros quase 500 estudantes da escolas estaduais Secretaria de Estado de Educação e Desporto foram aprovados nos vestibulares na Universidade do Estado do Amazonas (UEA) nas diversas áreas.

Assim como Bárbara, outros oito alunos da rede pública passaram para o curso de Medicina e também vão seguir no Ensino Superior na rede pública. Os cursos de Licenciaturas, Engenharias e Artes tiveram maior quantidade de aprovados entre os alunos da rede estadual, com 16,4%, 15,6%, 13,9%, respectivamente.

Alunos de todas as zonas de Manaus foram aprovados em cursos na UEA pelo Sistema de Ingresso Seriado (SIS) e pelo Macro, vestibular da própria universidade. Os quase 500 alunos foram aprovados já na primeira chamada. Há outros que ainda podem ser aprovados nas demais fases, se houver.

Foto: Eduardo Cavalcante

Os números dos aprovados nas unidades do interior estão em fase final do levantamento.

Dedicação – Bárbara foi aluna do Colégio Amazonense Dom Pedro II, no Centro da capital, durante todo o Ensino Médio. Ela conta que fez cursos preparatórios e dedicou-se a estudar em todo o tempo que tinha vago. As aulas no colégio, no entanto, foram essenciais na compreensão dos assuntos.

Lucas Barbosa, 17, também egresso do “Estadual”, foi aprovado para Licenciatura em Matemática e tem classificação para Engenharia de Computação. Assim com a amiga que será médica, ele se esforçava nas aulas, revisava os conteúdos sempre que podia e tinha apoio do corpo docente da escola. Ele participou do curso “Educação Solidária”, cujas aulas são ministradas por alunos da UEA e Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

O estudante dá um recado aos alunos que almejam uma vaga no Ensino Superior. “Eu aconselho que se esforcem bem, ao máximo, não procrastinar de maneira alguma os estudos, principalmente alunos do terceiro ano, e que não desistam de entrar em uma faculdade pública, por mais que esteja sendo difícil”, diz o rapaz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui