China planeja construir hospital em dez dias para tratar coronavírus

China constrói novo hospital em Wuhan para tratar coronavírus. — Foto: Chinatopix/via Associated Press

A China está em uma corrida científica e estrutural para conter o avanço de novos casos de coronavírus, que já matou 26 pessoas e tem mais de 900 casos confirmados até esta sexta-feira (24). Outros oito países também têm registro da doença.

Há pesquisas sendo desenvolvidas para identificar detalhes da cepa do vírus, um hospital sendo construído para tratar exclusivamente dos infectados e restrições de circulação e fechamento de pontos turísticos.

Obra emergencial

Na região metropolitana de Wuhan, cidade epicentro da doença, as autoridades estão construindo um novo hospital que será dedicado ao tratamento do coronavírus, segundo o Xinhua News. O empreendimento segue o modelo de Pequim para tratamento de doenças respiratórias agudas, conhecidas como SARS. O hospital terá 1 mil leitos, uma área de 25 mil m² e deverá ser inaugurado em 3 de fevereiro.

As autoridades esperam que o novo hospital dedicado somente a casos de pneumonia viral de origem desconhecida seja concluído em tempo recorde. Segundo a agência de notícias estatal, equipes de operários trabalham 24 horas por dia na obra. Em 2003, o hospital erguido em Pequim para os casos de SARS ficou pronto em apenas uma semana.

Nova estrutura de saúde deve ter 1 mil leitos. — Foto: STR/AFP

Pesquisas

O Ministério de Ciência e Tecnologia da China lançou oito projetos de pesquisa de emergência para ajudar a lidar com o mais recente surto de coronavírus no país. Além disso, o governo criou um sistema nacional com informações de pesquisas a respeito da doença. Imagens microscópicas eletrônicas do coronavírus, primers e sondas para detecção de vírus estão disponíveis no site, de acordo com a rede de notícias Xinhua.

Reforço médico

A China está mobilizando recursos médicos e profissionais de saúde em todo o país para ajudar Wuhan a controlar a epidemia, informou o Xinhua News

Xangai enviará 405 trabalhadores médicos em três grupos para Wuhan até o final do mês. Um grupo de 105 profissionais deverá chegar a Wuhan já nesta sexta-feira (24). Guangdong também enviará em breve 205 médicos e enfermeiros de nove hospitais da província.

Restrição de circulação

Ao menos dez cidades na província de Hubei, na China, estão com restrições de circulação nesta sexta-feira (24), o que afeta cerca de 30 milhões de pessoas, de acordo com a rede de notícias CNN. A medida de emergência foi tomada pelas autoridades chinesas para tentar frear a epidemia de coronavírus. O jornal americano The New York Times fala que há restrições em 13 cidades, afetando 35 milhões de pessoas.

As restrições incluem fechamento de estações de trens, rodoviárias, transportes urbanos e de circulação de carros por algumas estradas. As autoridades ainda não informaram quando essas medidas serão retiradas.

Canteiro de obras do novo hospital dedicado a pacientes do novo coronavírus em Wuhan. — Foto: STR/AFP

Nesta quinta, Pequim anunciou que cancelou as comemorações do Ano Novo chinês, tradicional festividade que deveria começar nesta sexta e duraria uma semana. A iniciativa pretende desestimular a circulação de pessoas pelo país, que poderia colocar possíveis doentes em contato com pessoas saudáveis.

A rede de fast food McDonalds anunciou nesta sexta-feira que vai suspender as operações em cinco cidades chinesas: Wuhan, Ezhou, Huanggang, Qianjing and Xiantao, todas na província de Hubei. Não há previsão para as lojas serem reabertas.

O estádio Bird’s Nest, palco dos jogos olímpicos de 2008, foi fechado nesta sexta, segundo a Reuters.

Atrações turísticas como a Muralha da China em Juyonggang, os Túmulos de Ming e a Floresta do Pagode de Yinshan serão fechadas ao público a partir deste sábado, de acordo com a CNN.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui