Cientistas descobrem vestígios do maior sacrifício de crianças

Os esqueletos foram encontrados em Huanchaquito (Foto: Gabriel Prieto/National Geographic)

Os vestígios do sacrifício foram encontrados perto da cidade de Trujillo, que fica próxima ao centro da antiga civilização chimú. O império chimú, que adorava uma divindade ligada à Lua, chegou a controlar um território que se estendia por 970 km na costa e nos vales do interior do Peru, entre a fronteira com o Equador até o local onde hoje se encontra a capital, Lima.

Mais de 200 jovens lhamas também foram mortas junto com as crianças – todos em um mesmo ritual.

A descoberta, possível graças ao apoio da National Geographic Society, foi revelada com exclusividade pelo site da revista National Geographic .

Até hoje, o maior sacrifício ritual de crianças de que havia evidências é o de 42 vítimas feito em um templo da cidade asteca Tenochtitlán (que hoje é a Cidade do México).

As crianças foram enterradas na lama junto com lhamas, por volta do ano 1450 (Foto: Gabriel Prieto/National Geographic)

Escavações
“Eu não esperava (uma descoberta deste tamanho)”, disse John Verano, um dos pesquisadores-chefe, à publicação.

A primeira descoberta de vítimas de sacrifícios humanos no local, feita em 2011, revelou os restos mortais de 40 crianças e 74 lhamas, durante a escavação de um templo de 3,5 mil anos.

A contagem final, anunciada nesta semana, foi de 140 crianças mortas. A pesquisa mostra que as vítimas tinham entre 5 e 14 anos, mas a maioria estava na faixa dos 8 aos 12 anos, segundo a National Geographic.

Os pesquisadores sabem que as crianças foram sacrificadas em um ritual porque elas têm marcas de cortes nos ossos que condizem com morte em sacrifícios humanos. A vítimas tinham cortes no esterno, o osso central do peito, e nas costelas – o que pode indicar que o coração foi removido.

Além disso, muitas das crianças foram pintadas com tinta vermelha brilhante feita com cinábrio, um minério de mercúrio.

As lhamas, que tiveram o mesmo destino das crianças, tinham todas menos de 18 meses e foram enterradas com o rosto virado para as montahas dos Andes.

O local da escavação, próximo da cidade Trujillo, é conhecido como Huanchaquito-Las Llamas (Foto: Reprodução/BBC)

Oferta aos deuses
“Quando as pessoas ficam sabendo sobre o que aconteceu e sobre escala do evento, a primeira pergunta que fazem é: por quê?”, diz Gabriel Prieto, que também é pesquisador-chefe no projeto,

A escavação dá um sinal: a camada de lama em que as vítimas foram enterradas pode ter sido criada por “uma chuva pesada e um alagamento” em uma área normalmente seca – possivelmente causados por um mau tempo resultante de eventos meteorológicos extremos, como um El Niño, por exemplo.

A situação pode ter causado problemas para os pescadores na área e destruído a extensiva infraestrutura de canais de irrigação para a agricultura da civilização Chimú, diz a National Geographic. O sacrifício pode ter tido o objetivo de acalmar o que poderia ser considerada fúria do deuses ou de pedir ajuda para superar as dificuldades.

A datação por carbono feita nos tecidos encontrados no local sugere que o incidente aconteceu entre os anos 1400 e 1450.

Os chimú foram conquistados pelos incas apenas algumas décadas após a época em que foi feito o sacrifício em massa. Cinquenta anos depois, os espanhóis chegaram na América do Sul e conquistaram o império inca.

Fonte: BBC

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui