Cozinhar em casa contribui para boa saúde e integração da família

Foto: Divulgação/istock

Além da melhora na qualidade de vida, preparar refeições em casa contribui com economia na compra de alimentos e aproximação familiar

Quem não tem na memória o cheiro e o sabor afetivo daquela comida preparada por um ente querido, seja aquele arroz branquinho e soltinho feito pela mãe, aquele feijão com caldo grossinho e com o toque da folha de louro feito pela avó, ou aquela salada de batata com salsinha e um tempero caprichado do tio? Enfim, vem no paladar, no olfato e até na visão a recordação desses pratos deliciosos.

O ato de cozinhar tem um significado para cada pessoa: pode ser um hobby, uma profissão ou uma necessidade. Independentemente dessa representação, observa-se que, desde o início da pandemia do COVID-19, essa atividade passou por uma reestruturação, principalmente pelo fato de as pessoas ficarem mais em casa e os custos com a compra de refeições prontas terem ficado onerosos.

Assim, o ato de cozinhar tornou-se uma prática do dia a dia, comprovado pelo aumento de pesquisas em sites e redes sociais de receitas, assim como participações em lives e programas de televisão culinários, a fim de adquirir maior conhecimento e dicas para cozinhar uma alimentação saudável, com valores nutritivos adequados e com um toque pessoal.

A arte de preparar refeições é um conjunto de conhecimentos de matemática, química, língua portuguesa, história e geografia, agrega dados, valores e cultura, além de, nos dias atuais, integrar ainda mais a família, pois já não é vista como uma tarefa só feminina dentro dos lares e cuja responsabilidade é de todos, seja na escolha das receitas, na compra de produtos adequados, na preparação e na finalização dos pratos. Tanto é que nas cozinhas modernas o fogão 6 bocas ganha cada vez mais espaço pela facilidade de preparação de vários processos e pela capacidade ampla de poder unir a família em seu entorno.

Além de ser prazeroso cozinhar a própria refeição, essa alimentação traz inúmeros benefícios para a saúde por inúmeros motivos, como: ingredientes de mais qualidade, não utilização de conservantes, equilíbrio no uso do sal, entre outros.

Tanto é que o aumento do número de pessoas que levam a famosa marmita para o trabalho ou a escola passou a ser considerado significativo, além do aspecto financeiro – basta observar nos centros urbanos a abertura de locais que oferecem o serviço de aquecê-la.

O importante é evitar a comida industrializada. Se não tem como preparar sua refeição, opte por comida feita na hora. Hoje, até excelentes pratos congelados mantêm seus valores nutritivos, porém, com planejamento, dicas presentes no mundo culinário e todo o aparato de equipamentos da cozinha moderna, certamente irá se apaixonar pela gastronomia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui