Decisão da Direção Nacional do PT favorece aliança com o PSB de David Almeida

No Amazonas a decisão do PT nacional favorece David Almeida (PSB) - foto: divulgação

A executiva nacional do PT se reuniu em São Paulo, nessa sexta (20) e decidiu adiar convenções do partido nos estados em que há negociações com PCdoB e PSB, e foram remarcadas para 02 de agosto. Os estados envolvidos são: Amazonas, Pernambuco, Amapá, Paraíba, Maranhão, Tocantins e Rondônia.

PT espera conversas em estados para definir alianças. A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, indicou que o partido mantém negociações de alianças com PCdoB, PSB e Pros para garantir um palanque e fortalecimento da candidatura de Lula.

Gleisi indicou que há uma grande chance de o vice de Lula vir dos partidos com os quais o PT tem conversado. Ela, porém, disse que essa não é uma decisão dela, mas também de Lula. Ainda não há data para a indicação do vice, a escolha do vice, pode ocorrer tanto na convenção do partido, marcada para dia 4, como no dia do registro dia 15.

No Amazonas a decisão do PT nacional favorece David Almeida (PSB) – foto: divulgação

Amazonas

O Partido dos Trabalhadores no Amazonas para ser coerente com a tática eleitoral nacional tende a compor com do PSB de David Almeida, apresentado como pontos de negociação, o apoio à candidatura à presidência da república de Lula, eleger Francisco Praciano Senador, apoio a candidatura de José Ricardo a Deputado Federal e ajudar a eleger 3 deputados estaduais. Essa é plataforma de negociação do PT. A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann pediu para os dirigentes estaduais do partido Amazonas ajudem para concretizar a aliança nacional com PSB.

Após o PDT ter ficado isolado com a decisão do “centrão” de apoiar Geraldo Alckmin (PSDB), Gleisi não acredita que haja vontade do partido em se aliar ao PT agora, frisando que as conversas prioritárias são com PCdoB, Pros e PSB, exatamente os partidos que estão no arco de alianças de David Almeida.

A aliança com PDT de Amazonino está descartada em definitivo pelos motivos de ter candidatura de Ciro Gomes a presidência da república, não estar na aliança a nível nacional com PT e por representar o que há de mais “velho” e atrasado na política local na contramão do que defende os petistas.

O novo cenário que existe a aliança com Senador Omar Aziz (PSD), pré-candidato ao governo, onde foi apresentada a plataforma de negociação do PT e estão conversando para acertar a proposta. A questão central é que o PSD não está no arco de alianças nacional do partido, pelo contrário, flerta com o PSDB do presidenciável tucano Alckmin, que impossibilitaria marchar juntos.

E há os que defendem candidatura própria do PT, para garantir o palanque para o Lula e iniciar um processo de acumulação de forças que pavimente a volta mais a frente, com a eleições de 2020 na disputa da prefeitura de Manaus e buscar eleger três deputados estaduais, um federal e um senador.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui