Denúncia de ‘agressão a mulher’ é forte e pode dar afastamento a Diego Afonso

A situação do vereador Diego Afonso não é nada confortável: pode responder criminalmente e por decoro parlamentar - foto: arquivo/CMM

Pode até não dar em nada, mas só o fato de ser denunciado por agressão à sua ex-mulher, deixa o presidente municipal da Executiva Municipal do PDT, vereador Diego Afonso, de frente com a justiça e com forte possibilidade de ser expurgado do partido, o qual dirige como se fosse uma propriedade sua.

Vereador que bate em mulher

Cansada de ser agredida e humilhada a ex-mulher de Diego, Ingrid da Silveira Frota, de 36 anos, decidiu, no último dia 17, procurar a Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher para prestar queixa contra ele e solicitar providência legais.

Covardia

O casal teve dois filhos, um de 7 e outro de 9 anos de idade. Os dois presenciaram cenas de violência em casa quando Diego ainda vivia maritalmente com a ex-mulher. Em 2019, ela registrou em Boletim de Ocorrência (BO), as surras sofridas por ele. No BO ela citou que foram vários atos de covardia e que, infelizmente, ele ainda não respondeu por isso.

No dia 28 de fevereiro, o colunista e diretor da executiva do PDT no Amazonas, Paulo Onofre, teve acesso à parte do processo que apura as agressões – físicas e psicológicas – de que Ingrid Frota foi vítima – e continua sendo – por parte de Diego Afonso, com quem ela tem dois filhos.

Humilhação tem limite

Cansada de humilhações, Ingrid da Silveira Frota, de 36 anos, decidiu, no último dia 20, procurar a Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher para prestar queixa contra o vereador e solicitar providências legais. Ela declarou também que, por causa das agressões, está fazendo tratamento psicológico.

Decoro

Nesta segunda feira (02), Paulo Onofre irá protocolizar no PDT/AM uma carta denúncia e pedido de afastamento do vereador, do partido. “Quero que seja analisado o ato de agressão física conforme Boletim de Ocorrência, na delegacia da Mulher”, destaca ele.

Caso o ato praticado se caracterize como falta de decoro parlamentar, Paulo irá solicitar que o Conselho de Etica do PDT, inicie o processo de expulsão do vereador e exija o mandato.

“O PDT não pode fazer vistas grossas a este fato, vereador que bate em mulher, que foi veiculado pela mídia, e coloca em cheque toda a luta do partido em defesa da mulher”, resume.

Com informações do colunista Paulo Onofre

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui