Suspeitos de estupro coletivo a menor de 15 anos são presos

O crime ocorreu no dia 12 de fevereiro em um residência no bairro Tarumã/Foto: Ive Rylo/G1 AM

Dois homens de 19 e 23 anos suspeitos de participar de um estupro coletivo contra uma adolescente de 15 anos, foram presos nesta sexta-feira (1) em Manaus. Um deles era conhecido da vítima e a abordou no caminho da escola. Outro homem de 19 anos e dois adolescentes, de 16 e 17, participaram do crime, aponta a polícia. Na delegacia, a dupla se recusou a comentar o caso com a imprensa.

O crime ocorreu no dia 12 de fevereiro deste ano, em uma residência, na invasão Carlinhos da Carbrás que fica no bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus.

De acordo com a polícia, a jovem saiu de casa junto com a irmã para ir para a escola. No caminho, o jovem de 19 anos acompanhou as jovens.

A irmã da vítima ficou em uma parada de ônibus e o suspeito continuou andando junto a adolescente. Próximo a escola, ele teria pedido para a menina ir até a casa dele rapidamente.

O crime ocorreu no dia 12 de fevereiro em um residência no bairro Tarumã/Foto: Ive Rylo/G1 AM

“Dentro da casa estavam mais quatro indivíduos consumindo drogas e acabaram consumando a violência sexual. O crime foi premeditado, pois o rapaz que ela tinha confiança a atraiu para o local”, disse a titular Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), Joyce Coelho.

Segundo a delegada, o bando passou quatro horas abusando da jovem. “O crime foi tão premeditado que eles queriam devolver a menina para a família no período após a aula, para que a família não percebesse”, disse

Jovem foi hospitalizada

Após o crime, a vítima foi para casa e falou para os pais o que havia ocorrido.

“Ela foi ameaçada para que não contasse para a família. Mas ela chegou em casa com muitas lesões, chorando, teve hemorragia e a família acabou levando para atendimento hospitalar”, narrou a delegada.

A adolescente passou sete dias internada na maternidade Moura Tapajóz, Zona Oeste de Manaus, onde foi submetida a cirurgia, por conta das lesões sofridas.

A família não buscou a polícia para fazer a denúncia, porque estavam sendo ameaçados pelos suspeitos.

“Fomos notificados pela maternidade Moura Tapajóz, que é onde é prestado atendimento de urgência das vítimas de violência sexual, devido à gravidade das lesões apresentadas pela vítima que chamaram atenção tanto da equipe médica quanto da equipe policial”, disse.

Depoimento

A dupla foi presa hoje e apresentada na Depca. Segundo a delegada, eles confessaram o crime.

“A desculpa de todo estuprador é que a vítima queria. Nenhuma mulher quer ser estuprada. Eles admitiram que estavam no local, drogados e abusaram da vítima durante 4 horas em um ritual de barbárie”, disse a delegada.

Os dois foram indiciados por estupro. Eles serão encaminhados para o Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), no quilômetro 8 da rodovia federal-BR 174.

Os outros suspeitos já foram identificados e será pedido um mandado de busca e apreensão dos demais envolvidos.

De acordo com a delegada, medidas de segurança devem ser adotadas para a vítima e os familiares. “Estamos nos cercando de todas as providências necessárias, como transferência de escola para que não fique exposta novamente a este tipo de crime ou alguma represália”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui