Energia solar compartilhada contribui para maior economia nas contas de luz

Foto: Divulgação/iStock

Sistema já é bastante adotado no exterior e agora vem ganhando popularidade em solo brasileiro

O brasileiro vem enfrentando uma crise severa quanto ao fornecimento de energia elétrica. Mesmo buscando economizar, a conta de luz segue nas alturas, e os reservatórios de água responsáveis por fornecer essa energia vêm lidando com uma baixa constante, devido à falta de chuvas. Diante disso, as fontes de energia alternativas acabam se tornando uma solução cada vez mais atrativa, não só pela economia, mas também por serem renováveis e sustentáveis.

Dentre todas as opções, a solar é uma das que mais se destaca, afinal o sol é uma fonte praticamente inesgotável de energia. Infelizmente, esse ainda é um sistema muito caro para ser implementado de forma individual, mas diversos países na Europa e, posteriormente, na América do Norte encontraram uma forma de popularizar o acesso e os custos da energia solar para a população. Essa é a chamada geração compartilhada, que funciona de um jeito bem diferente do que estamos acostumados.

É fato que a maioria das casas não possui espaço ou foi projetada para a possível instalação de painéis de captação solar, então esse é um problema que vai além do custo elevado desses itens. O sistema compartilhado resolve a questão de uma forma muito engenhosa, oferecendo um serviço por assinatura para qualquer pessoa. O cliente não irá usufruir diretamente da energia solar, mas em troca receberá créditos que poderão ser abatidos na conta de luz tradicional, garantindo mais economia.

A geração compartilhada funciona da seguinte forma: uma empresa cria uma fazenda dedicada exclusivamente à produção de energia solar. Tudo que for produzido ali será fornecido para as já conhecidas distribuidoras tradicionais, onde posteriormente se juntará às demais fontes de energia para suprir a demanda da população. Na prática, todos estão usufruindo do que foi fornecido, mas quem paga o serviço por assinatura recebe um desconto equivalente ao que foi utilizado, podendo inclusive se livrar da bandeira tarifária por estar contribuindo com energia limpa.

Ao aderir à energia solar por assinatura, o desconto já vem abatido na conta, e o único requisito é que a pessoa more dentro da zona coberta pela concessionária afiliada à distribuidora da região. Devido às altas taxas dos últimos meses, a procura pelo serviço já vem se popularizando mais pelo país e tende a continuar crescendo. Estima-se que, até o fim de 2022, a produção de energia solar aumente em 90% no Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui