Estação experimental do IFAM CMZL produz hortaliças sem agroquímicos

Foto: IFAM

Em busca de técnicas naturais para produzir alimentos saudáveis e seguros sem o uso de agroquímicos, a Estação Experimental de Hortaliças do Instituto Federal de Educação do Amazonas (IFAM) – Campus Manaus Zona Leste (CMZL) teve proposta aprovada no Programa de Apoio ao Desenvolvimento Científico e de Inovação Tecnológica (Padcit) em 2016, uma iniciativa da Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (PPGI), em parceria com as pró-reitorias de Ensino (Proen) e Extensão (Proex).

Com 2.500 m2 destinados ao cultivo e colheita de berinjela, couve manteiga e cubiu, a estação é um espaço para aulas práticas e aperfeiçoamento dos cursos técnicos e de graduação do CMZL. Há pouco mais de seis meses, o coordenador do projeto, professor Edimilson Barbosa Lima, registra os procedimentos do cultivo, com cuidados específicos do preparo da terra até a colheita. “Estamos trabalhando com dois tipos de ambientes: céu aberto e protegido, a fim de avaliar as condições das hortaliças produzidas, a partir da colheita e pesagem. O ambiente protegido oferece água e sol na medida certa, diferente do cultivo em céu aberto, gerando uma produção 50% maior e sem nenhum tipo de praga”, explicou o coordenador.

Atualmente, a estação abriga 250 mudas de berinjela que, após a colheita, são doadas aos servidores e alunos do Campus Manaus Zona Leste. “Ainda não conseguimos atender a demanda do refeitório do Campus porque há uma grande quantidade de alunos, e a horta ainda está em fase inicial. A proposta é que com a ampliação do espaço teremos hortaliças suficientes para atender a demanda nutricional do Campus”, disse Lima.

Após a fase de berinjelas, será a vez do cubiu, fruto regional bastante nutritivo e rico em vitamina B. “Daqui a 15 dias daremos início à colheita do cubiu, e pretendemos estabelecer parcerias com o setor da agroindústria para a produção de geleias e compotas”, disse. Por meio de pesquisa aplicada e inovação tecnológica, em breve, será dado início ao cultivo de repolho, alface, tomate, pepino e quiabo.

Foto: IFAM

Além do setor agroindustrial, o coordenador do projeto espera firmar parceiras com outras instituições para a realizações de atividades que possam ser beneficiadas com o funcionamento da Estação Experimental de Hortaliças. Uma das ideias é apoiar e transferir conhecimento para produtores de hortaliças.

“Queremos realizar um Dia do Campo com a participação de agricultores, onde apresentaremos o sistema de irrigação localizado, fazer teste de vasão e mostrar a eles como isso impacta positivamente na horta e, consequentemente, na colheita que passa a ser maior. E indicar que o ambiente protegido é uma das principais ferramentas para a agricultura, uma vez que a chuva dificulta o cultivo”, explicou Lima.

Outra iniciativa é a parceria com a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra-AM), com o objetivo de revitalizar a camada vegetal da nascente do igarapé do Mindu, implantando o sistema de horta mandala no local.

Sobre o Padcit

O edital do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Científico e de Inovação Tecnológica (Padcit) em 2016 teve um aporte da Reitoria do IFAM no valor de R$300 mil e tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação da instituição, por meio de propostas de docentes que visem a pesquisa aplicada e inovação tecnológica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui