Fazenda Esperança é homenageada na CMM ao completar 10 anos

Elias Emanuel, Lucilene Rosendo e Iraci Leite/Foto: Robervaldo Rocha

Elias Emanuel, Lucilene Rosendo e Iraci Leite/Foto: Robervaldo Rocha
Elias Emanuel, Lucilene Rosendo e Iraci Leite/Foto: Robervaldo Rocha

Em comemoração aos dez anos da Fazenda da Esperança Irmã Cleusa – que recupera mulheres usuárias de drogas, a Câmara Municipal de Manaus (CMM), homenageou, na tarde de hoje, segunda-feira (16), as fundadoras da instituição, Lucilene Rosendo e Iraci Leite, com placa comemorativa, por iniciativa do vereador Elias Emanuel (PSB).
Além das fundadoras da Fazenda feminina, estavam presentes os vereadores, professora Jacqueline (sem partido), professor Bibiano (PT), professora Therezinha (DEM), professor Samuel (sem partido) e Waldemir José (PT). E ainda, o bispo emérito de Manaus, Dom Mário Pasqualotto e o coordenador da Fazenda, Padre Vinicius.

Elias Emanuel ressaltou que a homenagem prestada à Fazenda feminina era o mínimo que o Poder Legislativo Municipal podia fazer em prol da obra realizada por essas mulheres. “Quanto mais falarmos da filosofia de recuperação, nós estaremos colaborando com esse projeto. A fazenda é um raio de sol que se levanta contra essa dura realidade que é o consumo das drogas em nossa cidade”, afirmou.

Uma das fundadoras, Lucilene Rosendo, externou seu agradecimento à Casa Legislativa e dedicou a homenagem a cada menina interna da instituição. “Quero oferecer esse reconhecimento a cada uma das meninas que estão na fazenda lutando todos os dias para resgatar sua dignidade”, destacou.

Em resposta, a interna, Aline Barreto (27), declarou que após dez anos como usuária de drogas, foi na fazenda que ela realmente encontrou apoio para se livrar do vício. “Foi um sonho ruim que passou”, disse.

Para o vereador Professor Bibiano, diante da realidade triste de nossa cidade – onde várias pessoas têm morrido por overdose – temos que reconhecer o trabalho “gigantesco” desenvolvido pela fazenda. “Temos que trabalhar por políticas públicas para essas pessoas”, finalizou.

Atualmente, a Fazenda Irmã Cleusa tem em suas dependências 17 mulheres internadas. E, ao longo desses dez anos, já recuperou mais de 200 mulheres do vício das drogas, segundo suas fundadoras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui