Mãe sequestra filhos na Holanda para se juntar ao Estado Islâmico na Síria

Luca e Ayacha, já estariam em Rappa/Foto: AP

Luca e Ayacha, já estariam em Rappa/Foto: AP
Luca e Ayacha, já estariam em Ragga/Foto: AP

Duas crianças holandesas foram sequestradas pela mãe e levadas para a cidade de Raqqa, na Síria, que está sob controle do grupo extremista Estado Islâmico, informou a promotoria hoje, segunda-feira. Esse é o primeiro caso no país de um dos pais sequestrar os filhos para se juntar ao grupo jihadista.
A mãe tem 33 anos, é chechena e estava divorciada do marido. Ela levou o menino Luca, de 7 anos, e a menina Aysha, de 8, da casa em que moravam, em Maastricht, sem o consentimento do pai em outubro passado. Provavelmente eles atravessaram a Europa usando passaportes falsos e com ajuda externa.

Após chegarem a Raqqa, ela anunciou no Facebook sobre a viagem. Desde então não houve mais notícias das crianças, segundo a promotoria.

O diretor da escola islâmica que as crianças frequentavam alertara o pai que a mulher havia impresso passagens aéreas para ela e as crianças em voos com destino à Grécia. O homem chegou a comunicar à polícia a desconfiança de que sua ex-mulher planejava ir à Síria. Ela foi interrogada na época, mas negou as acusações.

A polícia acredita que ela tenha recebido ajuda para viajar. As autoridades calculam que dezenas de famílias tenham deixado a Holanda nos últimos dois anos para se unir ao Estado Islâmico. Há pelo menos 180 holandeses lutando ao lado do EI.(G1)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui