Givancir se apresenta ao delegado Bruno Fraga, nesta segunda (03)

Bruno de Freitas Guimarães e a travesti conhecido como “Thelcy”, no município de Iranduba, estariam envolvidos com drogas e roubo de residência – foto: recorte\arquivo

Att: Givancir se apresenta amanhã, segunda feira (02 de março).

Givancir confidenciou hoje a amigos e ao Correio da Amazônia que vai se apresentar espontaneamente ao delegado Bruno Fragas – responsável pelas investigações da morte de Bruno Freitas Guimarães e da tentativa de assassinato do Travesti conhecido como Thelcy, ocorrido no município de Iranduba, interior do Amazonas, na tarde desse sábado (29).

“Não tenho nada a temer”, disse Givancir sobre a tentativa de jogar a responsabilidade dos crimes nas costas dele em um momento em que ele se prepara para se lançar candidato à prefeitura do município de Iranduba, nas eleições de outubro.

“As primeiras informações, todas desencontradas, apontam para o presidente dos Rodoviários do Amazonas, porque, segundo foi apurado, tanto o travesti Thelcy quanto o Bruno Freitas estariam envolvidos no roubo de supostos R$ 200 Mil da residência de campo de Givancir, também no município de Iranduba, no mês passado”.

Bruno de Freitas Guimarães deixado morto à beira da Estrada de chão batido, no município de Iranduba – foto: redes sociais

Politização do caso

A família de Givancir, amigos e sindicalistas estão reunindo uma série de áudios que provam haver um interesse político do caso desde a invasão e roubo de sua casa no mês passado, sem que as autoridades policiais tenham dado solução ao caso, mesmo sabendo quem são os autores do roubo.

O irmão de Givancir, Josildo de Oliveira disse que tem um áudio, onde um senhor diz que o travesti Thelcy tinha uma dívida com uma ‘boca de fumo’ em Iranduba e que o Bruno morreu de graça, porque estava acompanhado do travesti.

Outros áudios de moradores do ramal onde aconteceu o crime, informam que na verdade foi um de ‘acerto de contas’ na estrada, bem antes da notícia ser divulgada por um portal local.

Ou seja, diz a família de Givancir, “até agora não tem um vídeo, um áudio, um depoimento de envolvidos na morte e tentativa de assassinato do travesti. Só existem informações de que aconteceu algo sem nada que possa sustentar o ocorrido”, disseram.

Advogado

Com tranquilidade e só assistindo o ‘festival’ de fake News, está a defesa do presidente dos Rodoviários. Para eles, o Givancir vai ser apresentado na terça feira ao delegado, momento em que irá negar a prática do crime e apresentar álibi que comprova que não estava nem na cena do crime.

Pré-candidatura

Givancir disse que esperava uma forte oposição logo após o anúncio da sua pré-candidatura à prefeitura de Iranduba, mas não a esse ponto.

Ele disse que é do conhecimento de todos, que o prefeito Chico Doido (DEM) é um implacável opositor à sua candidatura. Mais ainda, dois vereadores aliados do prefeito, que até já o ameaçaram de morte durante um programa de rádio.

“Quando se fala em candidatura em Iranduba, o assunto morte, por parte deles, sempre aparece nas manchetes dos blogs e portais do Amazonas. Alguma coisa está errada e precisando de investigação”, aponta Givancir.

Ele reforçou a Correio da Amazônia que vai se apresentar sem a necessidade de mandado de prisão ou qualquer outra coisa do gênero e, acrescentou, “a polícia vai chegar nos autores do atentado e desmascará-los”.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui