Hamilton leva primeiro GP da história da Rússia e Massa não marca pontos

Hamilton faz história no primeiro GP da Rússia/Foto: AP
Hamilton faz história no primeiro GP da Rússia/Foto: AP
Hamilton faz história no primeiro GP da Rússia/Foto: AP

Antes da corrida, os pilotos da Fórmula 1 se uniram na reta principal do novíssimo circuito de Sochi para uma corrente de oração pela recuperação do colega Jules Bianchi, da Marussia, internado em estado grave desde o acidente no Japão, no domingo passado. Mas assim que as luzes vermelhas se apagaram para o primeiro GP da história da Rússia, passou a ser cada um por si.

E quem levou a melhor foi Lewis Hamilton, que chegou a nona vitória na temporada, seu 31º triunfo na carreira, igualando-se a Nigel Mansell como o sexto maior vencedor da categoria. Nico Rosberg completou a dobradinha da Mercedes, que garantiu o título antecipado do Mundial de Construtores para as Flechas de Prata. Companheiro de Felipe Massa na Williams, Valtteri Bottas completou o pódio com mais uma boa atuação. Já o brasileiro, que largou em 18º após ter problemas no motor na classificação de sábado, fez uma corrida de recuperação, mas não conseguiu entrar na zona de pontuação, terminando em 11º.

Com o resultado, Hamilton chegou aos 291 pontos e abriu 17 de vantagem para Rosberg. Ainda há 100 pontos em jogo nas três corridas restantes para o fim da temporada – GP das EUA (02/11), GP do Brasil (09/11) e GP de Abu Dhabi (23/11), que vale pontuação dobrada.

Logo na largada, Rosberg mostrou que estava determinado a desbancar o parceiro de Mercedes. Mas o alemão se precipitou, fritou os pneus ao dar o bote na curva 2, teve que devolver a posição para Hamilton e ainda precisou parar nos boxes logo no fim da primeira volta. Sem o principal rival, o inglês não teve dificuldades para administrar a vitória. Depois de cair para o fim do pelotão, Nico levou os pneus médios até o fim, protagonizando uma bela corrida de recuperação para chegar em segundo.

Felipe Massa também adotou uma tática semelhante a de Rosberg, parando no fim da primeira volta e tentando fazer apenas uma pit stop, só que com compostos macios. O brasileiro chegou a escalar o grid junto com o alemão, mas ficou preso atrás de Sergio Pérez (Force India) e optou por mais um visita aos boxes. E o mexicano foi uma verdadeira pedra no sapato para o piloto da Williams. Nas voltas finais, o brasileiro voltou a ser bloqueado por Checo e não conseguiu entrar na zona de pontuação.

A McLaren foi um dos grandes destaques do fim de semana. Com uma corrida sólida, Jenson Button terminou em quarto, acompanhado por Kevin Magnussen, que largada em 11º. Já a STR acabou sendo a decepção do dia. Fernando Alonso (Ferrari), Daniel Ricciardo (RBR), Sebastian Vettel (RBR) e Kimi Raikkonen (Ferrari) vieram na sequência. Para tristeza da torcida russa que lotou as arquibancadas de Sochi, o único representante do país no grid não conseguiu manter o ótimo quinto lugar no grid, e foi despencando até cruzar em 14º, atrás do outro carro do time, de Jean-Eric Vergne.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui