Irmão do presidente estaria mediando verbas federais para prefeitos de São Paulo

Em dia de nova denúncia, Bolsonaro usa desculpa para não dar entrevistas – foto: arquivo

Diante de uma nova denúncia de irregularidades, éticas e financeiras, à sua família, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) avisou que não concederá mais entrevista aos jornalistas, como costumava fazer ao deixar o Palácio da Alvorada, durante a manhã. Bolsonaro publicou, em seu perfil no Twitter, um vídeo no qual ignora jornalistas, se recusando a falar com profissionais da imprensa na saída do Palácio da Alvorada.

— Eu quero falar com vocês, mas a Associação Nacional de Jornalistas diz que quando eu falo, eu agrido vocês. Então, como sou uma pessoa da paz, não vou dar entrevista — disse Bolsonaro, no vídeo.

A Fuga
A fuga do mandatário dos holofotes ocorre no momento em que o comerciante Renato Bolsonaro, irmão do presidente, tem atuado como mediador informal de demandas de prefeitos do Estado de São Paulo, interessados em verbas federais para obras e investimentos. Ao evitar a imprensa, Bolsonaro não respondeu às perguntas acerca desta nova denúncia.

A fuga do mandatário dos holofotes ocorre no momento em que o diário conservador paulistano Folha de S. Paulo (FSP) revela que o comerciante Renato Bolsonaro, irmão do presidente, tem atuado como mediador informal de demandas de prefeitos do Estado de São Paulo, interessados em verbas federais para obras e investimentos. Ao evitar a imprensa, Bolsonaro não respondeu às perguntas acerca desta nova denúncia.

Irmão do presidente

A FSP, na matéria, “identificou a participação do irmão do presidente na liberação de dinheiro para ao menos quatro municípios do litoral e do Vale do Ribeira, região de origem da família Bolsonaro. Sem cargo público, Renato participa de solenidades de anúncio de obras, assina como testemunha contratos de liberação de verbas, discursa e recebe agradecimentos públicos de prefeitos pela ajuda no contato com a gestão federal comandada pelo irmão”.

Ainda segundo o jornal, “ao todo, após a atuação de Renato, foram mais de R$ 110 milhões repassados para construção de pontes, recapeamento asfáltico e investimento em centros de cultura e esportes nas cidades de São Vicente, Itaoca, Pariquera-Açu e Eldorado, município onde moram familiares do presidente”.

Renato nega ser pago nesse trabalho e não responde se alguém custeia seus gastos, que incluem viagens pelo Estado de São Paulo.

Seguidores

A forma como Bolsonaro trata com a imprensa ganhou espaço, nesta quarta-feira, no jornal mais respeitável dos EUA. O diário norte-americano The New York Times publicou editorial com pesada crítica à posição do atual governo em relação à mídia.

“Bolsonaro alimenta uma repulsa por jornalistas, por desdém pessoal pela imprensa livre e também como uma maneira cínica de despertar a raiva de seus seguidores”, aponta.

“Os artigos de Greenwald fizeram o que uma imprensa livre deveria fazer: revelaram uma verdade dolorosa sobre os que estão no poder. Pungir a imagem heróica de Moro foi obviamente um choque para os brasileiros e prejudicial para Bolsonaro, mas exigir que os defensores da lei sejam escrupulosos em sua adesão a ela é essencial para a democracia”, resume o editorial.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui