Jovens do Tupé recebem capacitação para melhorar turismo na região

Fotos – Divulgação / Semad

Moradores das seis comunidades da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Tupé participam, a partir desta sexta-feira, 7/6, de uma série de capacitações voltadas ao desenvolvimento do potencial turístico da região. São mais de 20 participantes, incluindo indígenas que pertencem às comunidades Agrovila, Julião, Livramento, Colônia Central, São João do Tupé e Tatulândia.

Os cursos são ministrados por uma parceria firmada, em 2014, entre as secretarias municipais de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) e de Administração, Planejamento e Gestão (Semad), por meio da Escola de Serviço Público Municipal e Inclusão Socioeducacional (Espi).

Fotos – Divulgação / Semad

Abrindo a programação, o curso “Interpretação Ambiental e Monitoramento de Trilhas” segue até domingo na comunidade São João do Tupé. “O objetivo é preparar os moradores das comunidades para melhor atender os turistas e conduzir visitantes nas trilhas. Essa é uma das determinações do prefeito Arthur Virgílio Neto para ampliar a possibilidade de renda da população, fortalecendo as potencialidades turísticas da capital”, destaca a chefe de Educação e Aperfeiçoamento, Rafaela Costa.

Contando com 20 horas de duração, o curso é ministrado pela mestre em gestão de áreas protegidas e consultora ambiental Rosana Sahdo. “Teremos aulas teóricas e práticas, para treinar jovens da comunidade para implementar a interpretação de trilhas e também se tornarem monitores, cuidando dessas trilhas para que não se deteriorem”, explica.

Fotos – Divulgação / Semad

“A Reserva do Tupé tem um potencial turístico muito grande e queremos desenvolver alguns roteiros para receber visitantes e turistas. Estamos fazendo, em paralelo a esse curso, um trabalho de mapeamento, sinalização e interpretação de trilha”, complementa o gestor da RDS do Tupé, Marco Anônio Vaz de Lima.

Moradora da comunidade Colônia Central, Laíza Cevalho, 21, tem buscado participar de formações de agente ambiental para futuramente se tornar uma guia turística e atuar na localidade em que mora. “Temos o turismo na praia, recebemos milhares de turistas. Podemos guiar as pessoas para a minha comunidade. Buscamos o aprendizado para mostrar a cultura da nossa comunidade para os turistas”, conta.

Mais dois cursos ainda serão ministrados este ano: o de “Sinalização turística de trilhas”, em julho, e “Turismo e boas práticas sustentáveis para condutor de visitante”, em agosto. A programação integra o catálogo anual da Espi/Semad, no Programa de Capacitação Continuada, dentro do eixo Meio Ambiente e Sustentabilidade.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui