Licitação da PMAm foi feita para beneficiar uma empresa, diz José Ricardo

Deputado José Ricardo, repudia licitação da PMAm/Foto: Danilo Mello

Deputado José Ricardo, repudia licitação da PMAm/Foto: Danilo Mello
Deputado José Ricardo, repudia licitação da PMAm/Foto: Danilo Mello

O processo de licitação para compra de refeição da Polícia Militar do Estado, foi abordado pelo deputado estadual José Ricardo (PT), em seu discurso de hoje (06), na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), enfatizando que ela foi feita para beneficiar uma empresa, utilizando de procedimentos que desclassificam as demais, mesmo as que apresentaram preços melhores.

Na opinião de José Ricardo, o prejuízo chega a R$ 6 milhões, visto que será o preço que o Governo do Estado vai desembolsar para pagar a Ripasa Alimentos, vencedora do certame, pelo serviço oferecido. O deputado defende que se poderia ter contratado a refeição dos PMs por um preço maior e investir o restante na própria segurança pública, inclusive nas viaturas que estão sucateadas.

Além disso, o deputado afirmou que as instalações aonde os policiais trabalham, em sua maioria estão precárias, principalmente no interior amazonense, onde o abandono é vital.  “O Comando da PM não visita o interior para verificar as condições de trabalho dos policiais, em sua maioria desmotivados, residindo em instalações inadequadas”, mencionou, lembrando que o auxílio moradia está congelado há 12 anos.

Em aparte, os deputados Luiz Castro (PPS) e Marcelo Ramos (PSB) – que já denunciaram o caso na Aleam-, pronunciaram-se sobre o tema lembrando que o próprio Tribunal de Contas do Estado (TCE) já se manifestou contra ao processo licitatório, bem como o Ministério Público do Estado (MPE). Os deputados cobraram um posicionamento da Procuradoria Geral do Estado (PGE) para verificação dessa licitação, cuja refeição não é de qualidade.

CAS

Outro tema tratado por José Ricardo foi a 266ª Reunião Ordinária do Conselho de Administração da Superintendência da Zona Franca de Manaus (CAS), realizada na tarde de ontem (05), que aprovou 41 projetos industriais, sendo 13 de implantação e 28 de atualização, diversificação ou ampliação, dirigida pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Mauro Borges.

Segundo o deputado, o ministro se mostrou positivo com relação à aprovação da prorrogação, em segundo turno, dos incentivos fiscais da ZFM por mais 50 anos na Câmara Federal. “Muitas empresas estão aguardando essa decisão para anunciar novos investimentos, bem como ampliação no Polo Industrial de Manaus”, disse.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui