Amazonas Cultura

Livro “Fábulas e Apólogos da Amazônia” terá nova tiragem

A ideia é buscar parceria para reeditar o livro “Fábulas e Apólogos da Amazônia”/Foto: Divulgação
Escrito por Redação II

A ideia é buscar parceria para reeditar o livro “Fábulas e Apólogos da Amazônia”, que traz como pano de fundo, temas da Região Amazônica. A obra é composto por 20 historinhas e vem com CD com contações gravadas de todo o conteúdo, para facilitar a interatividades com os apaixonados por contos, lendas e mitos. O exemplar vem em com um visual bastante colorido e recheado de figuras ilustradas. Uma emenda parlamentar poderá ajudar na reedição do livro.

O leitor poderá encontrar no livro, histórias da “A Formiga e o Gafanhoto”, “A Mãe Natureza e o Curumim”, “A Floresta e a Motosserra”, “A Vitória Régia e o Jaçanã”, “Do Outro Lado da Praia da Lua”, “A Seringueira e o Soldado de Borracha”, “O Açaí e o Buriti”, “O Bem-te-vi e o Gato”, além da história “O Galo da Serra e o Mico-de-Cheiro”.

Uma das alternativas para que haja a reedição do livro, surgiu após uma conversa entre o presidente do Instituto de Desenvolvimento de Produções Artísticas e Culturais Manaós, com a deputada estadual do Amazonas, Alessandra Campêlo (MDB), onde levantou-se a possibilidade de destinar parte do orçamento do Estado, por meio das emendas parlamentares, para a atividade desenvolvida pelo Instituto Manaós.

A ideia é buscar parceria para reeditar o livro “Fábulas e Apólogos da Amazônia”/Foto: Divulgação

“Nada impede de realizar uma exposição itinerante, onde os artistas poderão fazer um trabalho cultural e ontológica para as pessoas da capital do Amazonas. Vamos estudar a possibilidade de destinar uma emenda parlamentar para o desenvolvimento das atividades artísticas e culturais que serão promovidas por meio da reedição do livro”, disse a deputada.

De acordo com o presidente do Instituto de Desenvolvimento de Produções Artísticas e Culturais Manaós, Valdir Junior, a primeira edição do livro foi bastante utilizado nas escolas públicas. Conforme Valdir, os próprios autores do livro tem se esforçado para levar os duetos artísticos, que cada historinha conta no livro.

“O leitor poderá encontrar, ainda, a historinha do Garantido e Caprichoso, do Jacaré e o prefeito de Jacundá, sempre trazendo um dueto de fábulas e apólogos para interagir com alunos de ensino fundamental, que passam a ser o público alvo”, disse Valdir.

O presidente do Instituto Manaós disse que a primeira impressão do livro, foi graças a iniciativa das autora, das professoras Adriana Barbosa e Creuza Barbosa Silva que bancaram os exemplares. Valdir explicou que o apoio do Instituto Manaós, foi por conta da pesquisa cultural.

“Nessa segunda impressão, seria para dar continuidade nas ações artísticas e culturais que foram criadas a partir da publicação deste livro, onde levamos artistas regionais, para interagir com essas crianças, com os professores e todos os profissionais envolvidos, com a proposta de sempre incentivá-los a ler e a desenvolver a prática e o gosto pela leitura, bem como, vasculhar esse universo Amazônico”, disse Valdir Junior.

A partir da reedição, Valdir Junior disse que vai ser pensado em inserir o livro na rede pública de ensino, ou em qualquer lugar onde se possa divulgar as atividades desenvolvidas.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário