Amazônia Brasil Política

Mesmo preso Lula pode ser presidente, diz sócio da Vox Populi

Para João Francisco Meira, cientista político e sócio da empresa de pesquisas Vox Populi, Lula disputará o Planalto de qualquer maneira em 2018.
Redação
Escrito por Redação

A um ano das eleições, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não tem um adversário capaz de fazer frente a sua popularidade e a alternativa de direita, representada por Jair Bolsonaro (PSC-RJ), é muito extremada para o gosto da maioria dos eleitores e para conseguir impedir uma vitória petista.

Afora os dois – que ocupam há meses primeiro e segundo lugares em todas as pesquisas -, quem parece ter potencial para atrair uma fatia importante do eleitorado de centro é o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, sem partido.

Para João Francisco Meira, cientista político e sócio da empresa de pesquisas Vox Populi, Lula disputará o Planalto de qualquer maneira em 2018.

Essas são algumas das avaliações de um veterano de pesquisas de intenção de voto e de campanhas eleitorais, João Francisco Meira, cientista político e sócio da empresa de pesquisas Vox Populi, de Belo Horizonte.

Ele se diz cético em relação à possibilidade de Lula ter sua candidatura impedida pela Justiça.

“Parece-me que o Lula é candidato a presidente da República em qualquer circunstância. Até preso, ele é candidato”, afirmou o cientista político em entrevista ao Valor.

Alvo de ações sobre corrupção no âmbito da Lava-Jato, Lula já foi condenado em uma delas em primeira instância. Se sofrer uma condenação de segundo grau, se torna ficha suja e ficaria impedido de se candidatar.

Mas Meira avalia que não será tão simples sepultar a candidatura de um líder de pesquisas e que é de se esperar uma batalha jurídica no caso de uma condenação. Se Lula for impedido – preso ou não -, o cenário esdrúxulo que poderá surgir é o de uma campanha com um representante do PT prometendo que, se eleito, será Lula, de fato, quem governará, avalia Meira.

As informações são de reportagem de Marcos de Moura e Souza no Valor.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário