Metalúrgico diz que a segurança dos trabalhadores está comprometida, no PIM

Valdemir Santana fala com trabalhadores no Distrito Industrial do Amazonas - foto: Sindmetal-AM

Após um ônibus da rota com trabalhadores da Moto Honda da Amazônia e da Samsung ser assaltado, o Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (SindMetal-AM), volta a exigir melhorias e segurança urgente no sistema.

Conforme o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos e da Central Única dos Trabalhadores, Valdemir Santana, esta não é a primeira vez que a categoria passa por esse tipo de violência dentro dos transportes, em direção ao trabalho e, ele não vai mais ‘deixar passar barato’ esse desleixo das indústrias que mais lucram no PIM.

“Todas as semanas recebemos algum tipo de denúncia. São ocorrências de violência com assaltos aos ônibus das rotas ou acidentes. Geralmente são ladrões invadindo os ônibus, levando todos os pertences e ameaçando os trabalhadores e, os dirigentes das empresas não se preocupam em tomar nenhuma providência”, afirmou Valdemir Santana.

De acordo com o sindicalista, empresas como a Samsung, por exemplo, que teve funcionários assaltados, colocou os trabalhadores para atuarem de madrugada “na marra”, mesmo quando eles estão de folga e são requisitados para o trabalho.

Alimentação

Valdemir tem questionado a péssima alimentação servida por algumas empresas do Distrito Industrial e que ele vem acumulando denúncias para levar um dossiê para os órgãos de fiscalização o mais breve possível. De acordo com o sindicalista, tem empresa que serve só ‘pão com ovo e mingau’ e ainda assim, o trabalhador tem que se alimentar de pé.

O presidente dos Metalúrgicos e da CUT-AM pediu ao Ministérios Público do Estado (MPE) e ao Ministério Público do Trabalho (MPT) para que tomem providência no sentido de fazerem com a Samsung, a Moto Honda, a Flextrônics, P&G e outras, que tratem melhor os seus funcionários. “É um absurdo o descaso com a categoria. E, isso, não é de hoje”, salientou Valdemir Santana.

Uma das melhorias pedidas pelo sindicato diz respeito à qualidade do transporte oferecido para os industriários. “São mais de 2 mil ônibus circulando e muitos deles ‘pirateiros'”, disse o presidente do SindMetal-AM.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui