Novo Ensino Médio é apresentado no Seminário Sinepe-AM de Educação

Seminário Sinepe-AM de Educação - Foto: Divulgação

O Novo Ensino Médio esteve em pauta no último dia do 9º Seminário Sinepe-AM de Educação. Nesta quinta-feira (15), gestores e professores de escolas da cidade assistiram a palestra do presidente da Associação Nacional das Escolas de Ensino Técnico (ANEET), Claudio Filho, que abordou que a formação dos estudantes será voltada para o empreendedorismo, a investigação científica, os processos criativos e a mediação e intervenção sociocultural. O modelo deverá ser implementado nas escolas públicas e privadas do país até 2021.

“Cada vez mais o país necessitava de uma reforma no Ensino Médio tanto por conta da grande evasão escolar, desconexão com o mercado de trabalho e a necessidade de incentivar o protagonismo do estudante”, explicou o especialista durante o evento, que aconteceu no Hotel Intercity, localizado no bairro Adrianópolis, e teve como tema “Instituições do Presente na Era da Educação 4.0”.

Seminário Sinepe-AM de Educação – Foto: Divulgação

Entre as mudanças na reforma está o aumento gradual da carga horária no Ensino Médio de 800 para 1.000 horas por ano letivo. Além disso, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) estabelece como obrigatórios ao longo de todo o Ensino Médio apenas os componentes curriculares de Matemática e Língua Portuguesa. A oferta de Língua Inglesa também é obrigatória, mas pode ser feita em qualquer um dos três anos, ou mesmo em todos eles, dependendo a instituição de ensino. O que não significa que as outras disciplinas não serão mais ensinadas, já que os alunos continuarão desenvolvendo as competências e habilidades referentes a todas as áreas do conhecimento presentes na BNCC.

Outra novidade são os eixos que vão orientar os chamados itinerários formativos, ou seja, as atividades que os estudantes poderão escolher. Eles poderão aprofundar os conteúdos e as práticas de uma área do conhecimento, da formação técnica e profissional ou até mesmo uma junção das duas possibilidades com um itinerário integrado.

“Dessa forma, será possível possibilitar que o jovem tenha autonomia e maiores opções para a construção do seu projeto de vida, melhorando a sua preparação para o ingresso no Ensino Superior e no mercado de trabalho”, disse o presidente da Associação Nacional das Escolas de Ensino Técnico.

Seminário Sinepe-AM de Educação – Foto: Divulgação

Educação 4.0

Outro tema abordado durante o último dia de Seminário Sinepe-AM de Educação foi a Educação 4.0, pelo empreendedor educacional e líder das comunidades GEG Manaus, Jaraquivalley e EduInovAM, Educação “Integrando educadores inovadores na Amazônia, Reinier Alex.

Durante o evento, o especialista explicou que a Educação 4.0 terá como foco a criação e adaptação do ensinar e aprendizado, através das tecnologias emergentes, dando ao aluno o protagonismo do conhecimento. Com isso, os alunos desenvolvem desde cedo, com a ajuda dos professores, a capacidade de continuar aprendendo na vida adulta para poderem responder com rapidez às inovações tecnológicas.

A investigação e as descobertas são feitas por meio do uso de aplicativos e dispositivos eletrônicos, como tablets, computadores e smartphones. Vídeos, sistemas, jogos e aplicações multidisciplinares são alguns dos recursos que serão valorizados, entretanto, basta ter os equipamentos e softwares. Através de um planejamento pedagógico estratégico, os alunos conquistam competências e o pensamento empreendedor, deixando de lado a simples replicação de conteúdo.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui