Open de Jiu-Jítsu terá atleta com Síndrome de Down superando obstáculos

João Batista, é a própria superação/Foto: Ryana Barreto

João Batista, é a própria superação/Foto: Ryana Barreto
João Batista, é a própria superação/Foto: Ryana Barreto
...e com  isto, as vitórias da vida/Foto: Emanuel Siqueira
…e com isto, as vitórias da vida/Foto: Emanuel Siqueira

Por trás de um campeonato de jiu-jítsu, uma bela história de superação no esporte amazonense. Aos 14 anos, o lutador João Paulo Batista de Souza vem superando as limitações da Síndrome de Down com os ensinamentos da filosofia da “arte suave”. Ele, também, já praticou natação,  além de jogar futebol e futsal, e adora videogame.
“Gosto do esporte, de educação física. Faço jiu-jítsu, futebol e futsal”, diz timidamente o garoto, que diariamente aprende os segredos da luta com o mestre Ricardo Guimarães na academia Game Fight, na Compensa 3, Zona Oeste de Manaus.

Nos dias 7 e 8 de março, João entrará no tatame da Escola Estadual Eldah Bitton, palco do 8º Open de Jiu-Jítsu da Compensa, tentando escrever mais um capítulo de sua incrível jornada no esporte. “Ele compete normalmente com os demais, não tem essa de preconceito no jiu-jítsu”, enfatiza o professor Ricardo Guimarães.

SUPERAÇÃO

O pai do atleta especial, Edson Pimentel, 47, relembra o início do herdeiro no esporte. “Primeiro ele fez natação. Depois futebol e futsal na escolinha da Vila da Prata. Ele ama praticar o esporte, mas também adora videogame. Se deixar, ele passa o dia inteiro com o controle na mão”, diz Edson, misturando alegria e emoção pela trajetória de João.

Edson soube que o filho era especial nos primeiros meses de vida. “Eu me escondia dos amigos, pois foi um baque para a família. Depois, aceitei, pois descobri que era um presente de Deus”.

João é mesmo um presente que alegra todos os ambientes por onde desfila seu talento. Nos campos ou quadras, leva a bola nos pés inspirado nos ídolos Neymar, Messi e Cristiano Ronaldo. Nos tatames, o faixa amarela da categoria pesado se espelha na história do amazonense José Aldo Júnior, campeão dos penas do UFC. Ele fala também no exemplo de Rodrigo Minotauro, que foi atropelado por um caminhão na infância e depois se tornou uma lenda do MMA internacional.

Recentemente, João perdeu a avó e o tio. Para o pai, ver o jovem lutador brilhando nos campeonatos é um conforto para a alma. “Hoje, o João é a estrela da família”, encerra, com lágrimas nos olhos – sentimento que só esporte é capaz de trazer à tona.

INSCRIÇÕES

As inscrições para o 8º Open de Jiu-Jítsu da Compensa estão abertas na academia Game Fight – rua T6, número 40, em frente ao SPA Joventina Dias, altos da Drogaria JR.

O investimento é R$ 25 por atleta e o campeonato é aberto para todas as categorias e faixas. A competição distribuirá medalhas aos três primeiros colocados. A academia campeã por equipe receberá R$ 1 mil, a vice R$ 500 e a terceira R$ 300.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui