Órgãos de Segurança, adotam novas ações para conter assaltos a ônibus

Foto: William Rezende/Secom

Em reunião realizada quinta-feira, dia 17, empresas do transporte público e especial, sindicatos dos trabalhadores, órgãos de Segurança Pública e Prefeitura de Manaus, divulgaram as novas ações que serão adotadas para coibir os assaltos a ônibus de Manaus.
Dentre as medidas está a criação de uma força-tarefa integrada por mais de 30 representantes para agilizar o compartilhamento de informações sobre os assaltos, além de reforçar as investigações e o policiamento ostensivo nas áreas de maior registro dos crimes.

O Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) irá centralizar as imagens de assaltos gravadas pelos circuitos das empresas, que são fundamentais para a investigação e identificação dos suspeitos.

De janeiro a julho deste ano, a SSP-AM já registrou a prisão de 653 acusados de assaltos a ônibus, somados com os presos em 2016 (473), o sistema registra o total de quase 1.200 acusados presos somente por roubos a ônibus do transporte público e especial.

Foto: William Rezende/Secom

O secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, destacou que é preciso esforço conjunto para solucionar o problema. Pelo menos sete medidas de segurança serão adotadas nos próximos dias, incluindo a criação de uma Força-Tarefa pra analisar a questão. “Não existe milagre e os órgãos de segurança, sozinhos, não conseguem resolver esse problema complexo, acreditamos que a união de todos os esforços fará a diferença”, disse Sérgio Fontes.

A reunião aconteceu no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) com a presença de mais de 30 representantes. Durante o encontro, as Cooperativas, Sindicatos e empresas do Distrito falaram das principais dificuldades na segurança do transporte coletivo.

Ações
Dentre as ações da Força-Tarefa estão a realização de barreiras em frente aos Distritos Integrados de Polícia (DIP) e Companhias Interativas Comunitárias (Cicom) para fiscalização de ônibus, ações de controle na contratação dos trabalhadores para atuar no transporte coletivo, como forma de evitar que criminosos estejam infiltrados no sistema, confecção de cartilha de procedimentos para cobradores e motoristas, criação de grupo de aplicativo de conversa para repassar informações de maneira mais rápida e ampliação da adesão ao programa Anjo da Guarda, que já é realizado.

Foto: William Rezende/Secom

Segundo o secretário Sérgio Fontes o problema é complexo, mas não insuperável, e é preciso um esforço conjunto e envolvimento de todos. “Estamos aqui pra dialogar, porque não se trata de um problema apenas de Polícia. Ainda nos próximos dias vamos montar uma força tarefa para que as informações circulem de maneira mais rápida, e o crime seja combatido e resolvido de maneira eficaz. Além disso, a Operação Catraca será intensificada em diversas áreas da cidade pela Polícia Militar e SSP e a Polícia Civil irá atuar na investigação para identificação de suspeitos”, afirmou.

A Polícia Civil estuda um mecanismo para facilitar o registro de roubos sem a necessidade do trabalhador se deslocar até a Delegacia. “Vamos criar mecanismos para que a vítima de roubo possa registrar a ocorrência de casa ou do trabalho, isso também daria mais agilidade no Sistema”, afirmou o delegado-geral adjunto, Ivo Martins.

Redução de assaltos – Desde o início do ano, diversas medidas coordenadas pela SSP-AM foram realizadas para combater o crime. Reforço o policiamento nos principais corredores, com aumento das abordagens a coletivos, Operação Rota Segura e Operação Catraca, realizada pela Polícia Militar, Projeto Anjo da Guarda e Botão do Pânico, com sistemas de monitoramento e rastreamento nos ônibus, integrados ao CICC, foram algumas das ações realizadas pelos órgãos de Segurança.

Somente com a adesão ao projeto Anjo da Guarda por empresas do Distrito Industrial no mês de março, houve a redução de 36% das ocorrências de assalto a ônibus nas rotas monitoradas. Os dados correspondem ao período de abril a junho, comparado ao primeiro trimestre do ano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui