Orquestra Barroca do AM retoma o Projeto ‘Ópera no Brasil Colonial’

Orquestra Barroca do AM/Foto: Divulgação
Orquestra Barroca do AM/Foto: Divulgação
Orquestra Barroca do AM/Foto: Divulgação
A Orquestra Barroca do AM/Foto: Divulgação
A Orquestra Barroca do AM/Foto: Divulgação

A Orquestra Barroca do Amazonas (OBA), especializada no repertório lírico luso-brasileiro do período colonial, retoma o calendário de apresentações do projeto “Ópera no Brasil Colonial”. No sábado (23), às 20h00, a orquestra se apresenta na Igreja Catedral Cristo Redentor, em Boa Vista-RR, e no próximo dia 30, às 19h30, na Igreja Metropolitana de Manaus (Igreja da Matriz), no Centro de Manaus.

Com  patrocínio da Petrobras, por meio da seleção pública do Programa Petrobras Cultural, a OBA faz apresentações em 25 cidades brasileiras ao longo de dois anos. Já foram realizadas apresentações em Manaus (AM, Salvador (BA), Recife e Olinda (PE), João Pessoa (PB), Fortaleza (CE). Em 2015, serão visitados mais 5 estados brasileiros do Norte, Sul e Sudeste do Brasil.

No repertório da OBA há árias a solo ou em duos, trios e quartetos, com acompanhamento orquestral, extraídas das óperas Capitão Belizário, A Mulher Amoroza, As Variedades de Proteu, Precipício de Faetonte, Dido Desamparada, Guerras do Alecrim e Mangerona e Demetrio, com música de diversos autores do século XVIII, sendo obras relacionadas ao Brasil daquela época. As fontes musicais são provenientes de diversos acervos de Brasil e Portugal.

Também foi gravado em Belém, no Museu Histórico do Estado do Pará, em março deste ano, o CD “Ópera no Brasil Colonial – 18th century brazilian opera”. Metade da tiragem será distribuída gratuitamente no país às instituições de apoio à cultura, e a outra metade será distribuída comercialmente pela Amazon.com em âmbito internacional.

Como grupo artístico integrado por cantores e instrumentistas, do Brasil e do exterior, a OBA se apresentará em média com 10 pessoas, em espaços históricos (teatros, igrejas, paços) de acesso público gratuito. Os concertos serão de 75 minutos, semi-encenados, em formato didático, com apoio de material impresso que será distribuído ao público. Cada concerto será precedido de explicação didática sobre o repertório e seu contexto, em local histórico ou instituição educativa, de forma aberta e gratuita.

No primeiro ano o trajeto se denominará “Do Nordeste litorâneo ao sertão da Amazônia”, enquanto no segundo ano será “O caminho do ouro e das especiarias: do Rio ao planalto”.

A OBA conta com o apoio da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Secretaria de Cultura do Pará (Secult-PA) e Fundação Carlos Gomes (PA).

Sobre a Obra

A Orquestra Barroca do Amazonas (OBA) foi criada em 2009 por professores e alunos de graduação e pós-graduação em Música da Universidade do Estado do Amazonas, interessados no imenso patrimônio brasileiro do período colonial, especialmente dos séculos XVIII e começo do XIX. O grupo usa cópias fieis de instrumentos de época e leitura historicamente inspirada das fontes musicais.

Desde sua criação, a OBA já esteve em diversas cidades do Brasil (todas as capitais da Amazônia Legal) e do exterior (Lisboa, Turim, Salamanca etc), em festivais de ópera e música sacra, se apresentando em igrejas e teatros históricos, assim como em modernas salas de concerto.

Em 2013 lançou o CD Dei Due Mondi, com obras de autores italianos e ibéricos, que influenciaram a formação do contexto lusófono em que se insere o Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui