Cultura

Paraíso Perdido estreia amanhã no Cine Casarão

A obra é uma homenagem à música brega romântica/Foto: Divulgação
Escrito por Redação II

O filme brasileiro mais esperado do ano chega Cine Casarão (rua Barroso, 279, Centro), Paraiso Perdido, de Monique Gardennberg terá sua estreia amanhã (7), quinta-feira, na sessão das 18h30. Na sexta-feira (8), sessão ás 20h; no sábado (9), às 18h30 e no domingo (10), às 19h. Os ingressos custam R$ 5 (meia) e R$ 10 (inteira).

A obra é uma homenagem à música brega romântica, centrada numa boate que abriga uma família de cantores comandada por ninguém menos que Erasmo Carlos, de volta ao cinema mais de 40 anos após os filmes da Jovem Guarda e 34 anos desde seu último trabalho como ator. Tem muita música – clássicos –, mas também um bom enredo, que se presta até ao suspense, ao incluir um policial (Lee Taylor) como guarda-costas da cantora drag da família (vivida por Jaloo). Roteiro e direção são de Monique Gardenberg (“Ó Paí, Ó”).

A obra é uma homenagem à música brega romântica/Foto: Divulgação

Paraiso Perdido têm a canção popular romântica do Brasil dos anos 1970 e 1980 como personagem central deste filme, conduzindo a trama ambientada nos dias de hoje. Fundamental para criar a empatia do espectador com a história, a trilha sonora foi construída sob direção musical de Zeca Baleiro, cantor e compositor maranhense que sempre direcionou olhar afetivo para a produção autoral de cantores e compositores populares como Odair José, Reginaldo Rossi (1944 – 2013) e Márcio Greyck.

Paraiso Perdido têm a canção popular romântica do Brasil dos anos 1970 e 1980/Foto: Divulgação

Do repertório de Greyck, aliás, Jaloo – ou melhor, Imã – dá voz à balada Impossível acreditar que perdi você (Márcio Greyck e Cobel, 1971), clássico da sofrência que, a rigor, é a mesma sofrência que reverbera na recente canção Say goodbye, lançada por Jaloo em março como primeiro aperitivo do segundo álbum do artista, ft., previsto para o segundo semestre deste ano de 2018.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário