Pilotos da F1 ameaçam entrar em greve por atraso em seus salários


Alguns pilotos de Fórmula 1 ameaçam fazer greve caso não forem quitadas as dívidas salariais.
Alguns pilotos de Fórmula 1 ameaçam fazer greve caso não forem quitadas as dívidas salariais.

A F1 vive um momento economicamente conturbado. Após os problemas com o projeto do teto salarial, uma ameaça de greve de alguns pilotos agora preocupa.

Segundo o “Bild”, Kimi Räikkönen e seu agente foram conversar com Federico Gastaldi, novo chefe da Lotus. Os alemães afirmam que o teor da conversa eram os atrasados que o finlandês precisa receber do time inglês.

O periódico ainda diz que, além de Räikkönen, Kamui Kobayashi, Romain Grosjean, Nico Hülkenberg e Adrian Sutil também estão com salários atrasados.

O alemão da Force India não quis comentar a situação, mas garantiu que os times não serão pegos de surpresa.

“O que nós estamos discutindo nas reuniões deve ficar entre a gente, mas as equipes estão a par de tudo”, falou.

Hülkenberg mostrou compreensão com os problemas financeiros das equipes e afirmou que a F1 é um esporte muito caro.

“Eles não deixam de pagar por diversão. De fato, o dinheiro não está aqui. É um esporte muito caro”, explicou.

Apesar das ameaças de greve, ainda não há nada de concreto e sequer existe uma opinião unânime entre os pilotos sobre quais medidas devem ser tomadas. (Redação GP)


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui