Piratas do rio causam prejuízos de R$ 48 milhões no Amazonas

Foto: Divulgação

De outubro de 2020 a dezembro do ano passado, os piratas de rios roubaram mais de 7,7 milhões de litros de combustíveis. O crime resultou em um prejuízo de R$ 48 milhões às transportadoras amazonenses, conforme estudo do Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial no Estado do Amazonas (Sindarma) .


De acordo com o vice-presidente do Sindarma, Madson Nóbrega, nestes 39 meses houve um aumento de 105,6% nos roubos em comparação com os anos anteriores e o período com maior número de ocorrências foi em 2022, com oito grandes assaltos e 3 milhões de litros levados pelas quadrilhas para serem comercializados ilegalmente.

No ano seguinte (2023), quando as transportadoras, por iniciativa própria, contrataram escoltas privadas armadas para fazer a segurança e acompanhar os comboios de balsas, a quantidade de combustível roubado caiu quase pela metade.

Além das escoltas armadas privadas, o dirigente do Sindarma ressalta que as transportadoras seguem investindo na segurança das tripulações e das embarcações, com a implantação de sistemas de câmeras que transmitem imagens para centrais, aquisição de painéis de energia solar e antenas móveis para assegurar acesso à Internet, e ainda sistemas de iluminação, alarmes de pânico, invasão e treinamento dos marinheiros para casos de abordagens.

“As transportadoras não tem condições de resolver sozinhas o problema da segurança pública fluvial no Amazonas e na região. Os custos são elevados, não há agentes privados capacitados para atender toda frota e as distâncias são grandes. Seguimos em permanente diálogo com o Poder Público para evitar que um problema maior possa acontecer, como o vazamento de combustível ou o ataque a um barco de passageiros”, acrescentou.

Artigo anteriorCaapiranga e Iranduba registram 540 bovinos e bubalinos vacinados contra febre aftosa
Próximo artigoNovas diretrizes favorecem renegociação de dívidas para pequenos negócios

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui