Policia prende pistoleiros de facção criminosa com mais de 10 mortes

A dupla é apontada por executar mais de dez pessoas em Manaus e Oriximiná/Foto: Erlon Rodrigues

Everton Pereira de Souza, de 24 anos, conhecido como ‘Chulé’, e Caio Monteiro Pinheiro, de 25 anos, foram apresentados na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), na manhã desta quinta-feira (20), suspeitos de mais de dez assassinatos. As prisões dos suspeitos ocorreram na segunda-feira (17), nas Zonas Leste e Sul de Manaus.

De acordo com o titular da DEHS, delegado Juan Valério, Caio e Everton seriam pistoleiros de uma quadrilha identificada como ‘Trem Bala’, que integra a uma facção criminosa que atua no Estado. Caio foi preso na casa onde morava, situada no bairro Petrópolis, Zona Sul da cidade. Everton foi preso no momento em que conduzia um micro-ônibus utilizado para transporte executivo, na Zona Leste da capital.

A dupla é apontada por executar mais de dez pessoas em Manaus e Oriximiná/Foto: Erlon Rodrigues

As ordens judiciais pelos crimes por roubo majorado e homicídio em nome de Caio e Everton foram expedidas no dia 22 de fevereiro deste ano, pela juíza Patrícia Macedo de Campos, da 3ª Vara do Tribunal do Júri.

O mandado de prisão pelo crime de roubo majorado, representado pela Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (Derfv), em nome de Everton, foi expedido no dia 31 de março deste ano, pela juíza Andréa Jane Silva de Medeiros, da 5ª Vara Criminal.

De acordo com Juan Valério, as ordens judiciais por homicídio, em nome dos infratores, estão associadas ao homicídio de Carlos Eduardo Ferreira Silva, ocorrido no dia 4 de janeiro deste ano, na Rua Adolfo Ducke, Conjunto Acariquara, terceira etapa do bairro Coroado, zona Leste. A vítima tinha 21 anos.

Segundo o titular da DEHS, Everton está sendo investigado pelas equipes da especializada pela autoria de 15 homicídios, dentre eles dois crimes que ocorreram no município de Oriximiná, no estado do Pará. Durante depoimento, no prédio da especializada, Everton assumiu a autoria de nove homicídios ocorridos desde 2015 até o ano corrente.

“Além dos nove crimes que ele confessou, ele é apontado como autor de mais seis homicídios. O infrator recebia em torno de R$ 500 a R$ 800 por cada crime. Everton também relatou que a ordem para a maioria dos homicídios que cometeu partiu dos dirigentes da facção criminosa que ele pertence. Todos os delitos foram motivados por disputa por territórios para comercialização de entorpecente, dívidas relacionadas ao tráfico de drogas, desafetos da facção e guerras entre as facções concorrentes. O jovem confessou, ainda, que executou no município de Oriximiná dois membros de uma facção rival”, informou Valério.

O titular da DEHS destacou que Caio agia como comparsa de “Chulé”. Ele é apontado como autor de seis homicídios. “Caio e Everton, em outubro de 2015, torturaram um homem, identificado como Fabrício Decio Damasceno Lima, integrante de outra facção criminosa. Na ocasião, os infratores cortaram partes do corpo da vítima, serraram a perna dela e a enterraram de cabeça para baixo. Vale ressaltar que a dupla procurava manter o álibi de pessoas comuns. No caso o “Chulé”, ele estava trabalhando como motorista de micro-ônibus. Já Caio trabalhava como motoboy”, disse a autoridade policial.

Everton e Caio irão responder pelo homicídio que teve como vítima Carlos Eduardo Ferreira Silva. A dupla também será indiciado por organização criminosa. Além desses crimes, Everton também responderá por roubo majorado. Os outros homicídios, em que os dois infratores são apontados como autores, seguem em procedimento na unidade policial. Everton e Caio serão encaminhados ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irão permanecer à disposição da Justiça.

Com informações da assessoria

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui