Políticos que optaram por “puxar a corda” do desenvolvimento do Estado

Pauderney Avelino (DEM), Omar Aziz (PSD), correndo por fora.

Com a eleição marcada para o mês de agosto, após a cassação do governador José Melo e do vice Henrique Oliveira, a política amazonense virou um “tabuleiro de xadrez” com alguns políticos se notabilizado de forma negativa, tentando “puxar a corda” do desenvolvimento do Estado nesse momento que antecede as eleições.

Esses ditos políticos estariam, ao invés de apoiarem ações que tragam benefícios e desenvolvimento para o Amazonas, fazem exatamente o contrário, ou seja, impedem que recursos cheguem ao nosso Estado para melhorar a vida do amazonense.

Dois exemplos clássicos dessa política ultrapassada, são o senador Omar Aziz (PSD) e o deputado federal Pauderney Avelino (DEM), que estariam agindo de forma eleitoreira, articulando contra os seus partidos, para apoiar a candidatura do velho e cansado “cacique da década de 80” o ex-governador Amazonino Mendes (PDT).

Pauderney Avelino (DEM), Omar Aziz (PSD), correndo por fora.

Para interlocutores, os dois estariam impedindo que recursos federais cheguem ao Amazonas para serem investidos em setores estratégicos como: Saúde, Segurança, Educação, Infraestrutura e na geração de emprego e renda.

E quem perde com isso é o Estado, a população, que fica privada dos benefícios quem poderiam ser gerados por estes investimentos.

Omar é um político desgastado, que vem perdendo força política depois das denúncias de recebimento de propina das empreiteiras que construiu a Arena da Amazônia, na operação Maus Caminhos da Polícia Federal e das denunciadas por envolvimento na “Operação Lava Jato”.

Assim como Omar, caminha o deputado Federal Pauderney Avelino (DEM), que mesmo denunciado em escândalos de corrupção, está empenhado em impedir que o Estado avance.

Ironicamente, Pauderney vem fazendo aparições públicas, concedendo entrevistas e se dizendo contra a corrupção, contra a política ultrapassada e conchavos, porém, por trás dos holofotes, age exatamente ao contrário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui