Preso maior desmatador da Amazônia

Detenção de castanha, motivou prisão desmatadores/Foto: EFE

Detenção de castanha, motivou prisão desmatadores/Foto: EFE
Detenção de castanha, motivou prisão desmatadores/Foto: AP

O Ibama e a Polícia Federal Ambiental do Pará prenderam no último sábado (21), o grileiro Ezequiel Antônio Castanha, considerado o maior desmatador da Amazônia, segundo informou ontem, segunda-feira, a organização ambiental.
Castanha é acusado de dirigir uma quadrilha que se dedicava a apoderar-se ilegalmente de terras de titularidade pública na Amazônia para depois desmatá-las e vendê-las como pasto a um preço elevado.

A quadrilha operava nas proximidades da BR-163, no Pará, e segundo cálculos do Ministério Público estadual, era responsável por 20% do desmatamento ocorrido na Amazônia brasileira nos últimos dois anos.

A detenção de Castanha fez parte de uma operação contra desmatadores realizada em agosto do ano passado, na qual o líder da quadrilha não tinha sido detido.

Apenas o núcleo familiar do grileiro responde por quase R$ 47 milhões em multas junto ao Ibama, sem contar com os autos de infração em nome dos demais membros da quadrilha.

O maior desmatador da Amazônia será julgado pela Justiça Federal e poderá receber pena de mais de 46 anos de prisão pelos crimes de desmatamento ilegal, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e uso de documentos falsos, entre outros.

O diretor de proteção ambiental do Ibama, Luciano Evaristo, afirmou que a detenção de Castanha e o desmantelamento da quadrilha “contribuem significativamente para o controle do desmatamento na região”, segundo um comunicado da organização ambiental.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui