‘Protocolo de 48 horas deve ser seguido à risca’, diz médico sobre caso de Gugu

Foto: Reprodução

É necessário constatar a ausência de atividades das três áreas do encéfalo: cérebro, cerebelo e tronco encefálico, que são as que controlam as funções vitais.

Após sofrer um acidente em sua casa em Orlando, nos Estados Unidos, o apresentador da Record TV, Gugu Liberato (60), foi hospitalizado e segue em observação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), do hospital Orlando Health, na Flórida.

De acordo com as informações passadas até o momento, tudo indica que na quarta-feira (20), o apresentador caiu de uma altura de aproximadamente 4 metros e bateu com a cabeça, o que pode ter resultado em um trauma de crânio.

Nesse sentido, o neurocirurgião e professor do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, Fernando Gomes, explica como funciona o protocolo e comenta o caso do apresentador Gugu Liberato.

Foto: Reprodução

“Segundo informações oficiais da assessoria de imprensa do apresentador, ele deve permanecer em observação por 48 horas, que terminariam amanhã, (23). Por ter sido constatado uma queda de uma altura grande seguida de um choque da cabeça contra a quina de um móvel, a hipótese de uma lesão séria no cérebro do apresentador é grande, por isso, o protocolo de 48 horas deve ser seguido à risca”, afirma o neurocirurgião.

O médico explica que, do ponto de vista cerebral, a medicina precisa seguir protocolos com diversas exigências, a fim de evitar erros e fornecer um diagnóstico assertivo, por isso ainda não se pode afirmar nada sobre o estado real de Gugu. “É necessário constatar a ausência de atividades das três áreas do encéfalo: cérebro, cerebelo e tronco encefálico, que são as que controlam as funções vitais. Se as suas funções cessam, todas as outras entrarão em colapso, por isso é preciso ainda aguardar”, finaliza o médico.

Fonte: R7

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui