Publicidade de Amazonino pode parar na investigação do Ministério Público

Gastos de Amazonino com publicidade e propaganda do governo podem ser freados pelo Ministério Público - foto: Em Tempo

Mesmo despejando dezenas de milhões de reais em publicidade o governador Amazonino Mendes (PDT) não vem conseguindo melhorar a imagem pessoal e nem da sua gestão como pretende e, tudo isso acontecendo em pleno período pré-eleitoral, quando Amazonino já se anunciou sua intenção de se candidatar à reeleição no próximo mês de outubro.

Os gastos excessivos e os pagamentos indevidos autorizados pelo governador Amazonino Mendes via secretário de Comunicação do Governo, Célio Junior, vem sendo denunciado por deputados estaduais, entre eles, José Ricardo (PT-AM). De acordo com o deputado, o governador autorizou mais de R$ 71 milhões para ser usado em publicidade somente no ano de 2018, dos quais mais de R$ 20 milhões já foram pagos.

Alguns desses pagamentos, segundo uma fonte, estão sendo feitos de forma irregular sem recolhimento de impostos, sem emissão de notas fiscais. “Como exemplo, aparece um dono de um blog que é o principal aliado do governador. Ele é um dos vem recebendo dessa forma. Uma condição imposta por ele mesmo, para receber o dinheiro em espécie e sem desconto de impostos”, afirma a parlamentar.

Gastos de Amazonino com publicidade e propaganda do governo podem ser freados pelo Ministério Público – foto: Em Tempo

A Secretaria de Comunicação é outro exemplo de não ter apresentado o controle sobre gastos com publicidade e divulgação. O questionamento é que ela vem autorizando pagamentos milionários para algumas empresas de assessoria de imprensa cujos proprietário são ‘amigos’ do secretário de Comunicação, Celio Junior e do secretário de Saúde, Francisco Deodato. Dentro do próprio Governo, algumas secretarias e órgão do primeiro escalão, entre elas a Secretaria de Cultura (Sec), possuem em seu quadros cerca de 8 a 10 jornalistas batendo cabeça numa sala minúscula.

Para José Ricardo, esses gastos são desnecessários e tendenciosos, uma vez que a publicidade é pessoal e não de interesse da coletividade. “O governador está gastando milhões em publicidade e propaganda, mas não é nenhuma campanha institucional ou orientação para melhorar a qualidade de vida da população. É apenas divulgação dele próprio, dizendo que são seis meses de controle das contas públicas e responsabilidade fiscal”, disparou o parlamentar, destacando que seria válido o investimento em publicidade e propaganda, mas se fosse para impactar positivamente a vida da população.

José Ricardo e outros deputados de oposição afirmam que irão ingressar com representações junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Ministério Público de Contas (MPC) para frear esses gastos e apurar supostas irregularidades.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui