Reservas de gás da Eneva aumentaram 60% no Amazonas

Foto: Reprodução

Com a perfuração dos três poços produtores no campo de Azulão localizado em Silves (a 212 quilômetros de Manaus), houve um incremento de 60% das reservas de gás da Eneva no Amazonas. A alta alcançou 5,851 bilhões de metros cúbicos. Um ano antes, o volume identificado era 3,612 Bm³.

As informações constam no Relatório Executivo de Auditoria das Reservas de Gás Natural dos Campos, elaborado pela consultoria independente Gaffney, Cline & Associates, Inc. “Esse resultado é fruto de mais de três anos de estudos dos dados existentes na região e do investimento na perfuração dos poços, e reforça a nossa tese sobre o potencial da Bacia do Amazonas, razão pela qual adquirimos mais três blocos exploratório no entorno de Azulão na Oferta permanente de 2020.”, destaca o diretor de Operações da Eneva, Lino Cançado.

O campo de Azulão faz parte do projeto integrado Azulão-Jaguatirica, vencedor do leilão de 2019 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Com investimento da Eneva de R$ 1,9 bilhão, o projeto vai produzir gás natural na Bacia do Amazonas, em Silves (AM), para abastecer a usina termelétrica (UTE) Jaguatirica II, que vai gerar energia para Roraima.

A empresa também registrou crescimento em suas reservas na Bacia do Parnaíba, no Maranhão. Em 31 de dezembro de 2020, as reservas 2P totais da Eneva somaram 31,827 bilhões de metros cúbicos, dos quais 5,851 bilhões de metros cúbicos são referentes à Bacia do Amazonas e 25,976 bilhões à Bacia do Parnaíba.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui