Sobe para 21 o número de mortos após furacão Ian na Flórida

Casas destruídas pelo furacão Ian em Fort Myers, na Flórida — Foto: Wilfredo Lee/AP

O governo da Flórida, nos Estados Unidos, afirmou que 21 pessoas morreram em decorrência da passagem do furacão Ian pela estado e outras centenas ainda estão desaparecidas.

Após enfraquecer e se transformar em tempestade tropical, o Ian voltou a ganhar força e retornou à categoria de furacão enquanto segue para a Carolina do Sul, segundo o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês).

Na Flórida, o fenômeno ainda em um panorama de cidades devastadas, milhões de pessoas sem energia elétrica e temores de que o custo humano possa ser elevado.

“Este pode ser o furacão mais letal da história da Flórida”, disse o presidente americano, Joe Biden, durante uma visita ao escritório da agência federal que combate desastres naturais, FEMA, em Washington.

“Os números (…) ainda não são claros, mas recebemos informações que dão conta de uma perda substancial de vidas”, acrescentou, assegurando que pretende ir o quanto antes ao estado, mas também para a ilha de Porto Rico, afetada recentemente pelo furacão Fiona.

Em entrevista coletiva na noite de quinta-feira (29), o governador da Flórida, Ron DeSantis, disse que esperava inúmeras mortes causadas pelo furacão. Ele não forneceu um número provisório, preferindo esperar a confirmação do balanço oficial. “Houve mais de 700 resgates confirmados e certamente haverá muitos mais quando novos dados chegarem.”

Um funcionário do condado de Charlotte, no oeste do estado, confirmou à rede de TV “CNN Internacional” a morte de “oito ou nove” pessoas, sem dar detalhes. Um porta-voz do condado de Volusia, na costa leste, anunciou ter registrado “a primeira morte vinculada ao furacão Ian”: um homem de 72 anos, “que saiu para esvaziar a piscina durante a tempestade”.

'Rua virou piscina': o medo de brasileiros durante a passagem do furacão Ian pela Flórida — Foto: GETTY IMAGES
‘Rua virou piscina’: o medo de brasileiros durante a passagem do furacão Ian pela Flórida — Foto: GETTY IMAGES

Paralelamente, prosseguiam as buscas por 18 pessoas desaparecidas na quarta-feira (28), depois que uma embarcação de migrantes naufragou perto do arquipélago dos Keys. Quatro cubanos conseguiiram nadar até a costa e a guarda costeira resgatou outros cinco.

Depois de uma noite de angústia, os moradores da Flórida checavam o estado de suas casas e comunidades nesta quinta. Na pequena cidade de Iona, na costa oeste, Ronnie Sutton, que ainda não conseguiu voltar para casa, disse estar convencido de que a água destruiu tudo.» LEIA MAIS

g1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui