Centro Qualificador de Ginecologia do AM será implantado, em Manaus

Ambulatório Araújo Lima, em Manaus/Foto: Arquivo

Ambulatório Araújo Lima, em Manaus/Foto: Arquivo
Ambulatório Araújo Lima, em Manaus/Foto: Arquivo

Está sendo implantando em Manaus, o Centro Qualificador de Ginecologia do Amazonas (CQG-AM), que funcionará no Ambulatório Araújo Lima, anexo ao Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV) que, segundo o secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, reforçará a oferta de tratamento para as lesões precursoras do câncer de colo uterino e, também, servirá como centro capacitador para os profissionais da área, que atuarão em polos regionais do interior e unidades de tratamento secundário da capital, a exemplo das policlínicas, o qual deverá entrar ainda este ano.

O projeto, desenvolvido pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA), em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), recebeu a adesão do Amazonas, a partir de uma iniciativa da Secretaria Estadual de Saúde (Susam). Conforme Alecrim, os médicos ginecologistas que coordenarão o CQG-AM, passarão por treinamento, neste mês, no INCA, órgão vinculado ao Ministério da Saúde (MS), localizado no Rio de Janeiro (RJ). Ao retornarem, eles auxiliarão na capacitação dos profissionais de cinco Policlínicas de Manaus indicadas para o Serviço de Referência em Colo Uterino (SRC) e de cinco polos-regionais do interior.

A coordenadora estadual da atenção oncológica, enfermeira Marília Muniz, explica que o objetivo do projeto é estruturar os polos de tratamento primários e secundários para lesões de baixo e alto graus, que acometem o colo uterino, e que, se tratadas a tempo, evitam o câncer nesta região. “A intenção é que seja um processo contínuo de capacitação médica. Inicialmente, iremos priorizar cinco municípios do interior que estão sendo definidos, além de cinco policlínicas na capital, que serão tratados como Serviço de Referência em Colo (SRC)”, acrescentou Muniz.

Os médicos ginecologistas serão capacitados para realizarem exames específicos de detecção das lesões precursoras, bem como, para o tratamento delas. Entres os procedimentos estão a colposcopia (exame do trato genital), a biópsia de colo, exérese de colo (EZT) – tratamento de lesões pré-malignas, que antecedem o câncer, cirurgia de alta frequência de colo uterino, entre outros. “Com esse reforço, será possível receber a paciente na unidade de saúde, tratá-la e acompanhá-la. Assim, poderemos descentralizar este serviço, cuja maior parte está concentrada, hoje, na FCecon (Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas), que é a unidade de tratamento do câncer referência em toda a Amazônia Ocidental e que também é vinculada à Susam”, destacou. Conforme a coordenadora da Atenção Oncológica, embora a FCecon seja uma unidade de tratamento terciário, ainda tem o papel primordial de emitir a maioria dos diagnósticos de câncer, o que poderá ser feito, a partir do CQG-AM, nas próprias policlínicas.

Como funcionará – Conforme Marília Muniz, as policlínicas indicadas para Serviço de Referência em Colo Uterino oferecerão tratamento ambulatorial, cujos procedimentos não necessitam de internação. As lesões serão identificadas através do Exame Colpocitológico do Colo Uterino (preventivo), realizado em Unidades Básicas de Saúde (UBS). Ela explica que, se confirmada lesão de baixo-grau, a paciente será acompanhada na UBS por seis meses. Se for alto grau, será acompanhada na Policlínica, no tempo determinado pelo profissional especializado. Em casos de diagnósticos de câncer, o encaminhamento será para a FCecon.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui