Empresa de ônibus Açaí deu um ‘golpe quase perfeito’, diz Rodoviários

Josenildo Mossoró e Givancir mOliveira junto aos trabalhadores da Açaí - foto: Gabriel Guima~es

Às escondidas e na calada da noite, os donos da empresa de ônibus urbanos Açaí Transportes tentaram aplicar o golpe da falência para não pagar os direitos trabalhistas aos seus 380 funcionários, mas não contavam com a interferência do Sindicato da categoria, na hora certa, para desfazer a trama quase perfeita dos empresários.

A informação é do presidente do Sindicato dos Rodoviários, Givancir de Oliveira. Ele disse ao portal Correio da Amazônia, que se a diretoria do sindicato não tivesse descoberto a ‘trama’ na virada da noite do dia 07 para o dia 08 de julho, a essa hora os trabalhadores estariam todos desempregados e sem direito a receber o FGTS, Férias, Salários, 13º e outros benefícios acumulados no mês.

Motoristas e cobradores se depararam com os portões fechados ao chegar ao trabalho – foto: recorte/vídeo Gabriel Guimarães

Givancir no entanto, destacou a importante interferência do prefeito David Almeida na questão. “Sem o prefeito, não teríamos a garantia de que os 380 trabalhadores lotados na Açaí não terão prejuízos de seus ganhos e nem a garantia de que todos serão relotados nas outras empresas que circulam em Manaus”, enumerou o presidente da categoria.

Com a intervenção do prefeito David Almeida, 160 trabalhadores foram lotados na empresa São Pedro e os outros 220 estão em fase de estudo para saber para onde eles vão. “O Sindicato está conversando com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas – Sinetram e a Prefeitura para encontrar a melhor forma de aproveitar o pessoal que foi abandonado pela Açaí. Mas todos voltarão ao trabalho”, finalizou Givancir.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui