Escola que venceu prêmio internacional abriga mais de 800 alunos em TO

Escola oferece também curso profissionalizante em agropecuária — Foto: Divulgação

O projeto de arquitetura que venceu o Prêmio Internacional Riba 2018, é de uma escola onde moram mais de 840 alunos. A Fundação Bradesco de Canuanã fica na zona rural de Formoso do Araguaia, região sul do Tocantins, e foi inaugurada há 45 anos. A unidade tem turmas do 2ª ano do ensino fundamental até a 3ª série do ensino médio, além de mais um ano de curso profissionalizante de técnico em agropecuária.

O complexo, projetado por Marcelo Rosenbaum e pelo grupo Aleph Zero, é chamado de ‘Aldeia das Crianças’ e foi anunciado vencedor na noite de ontem terça-feira (20).

Todos os alunos, professores e funcionários moram na escola. De acordo com o diretor da unidade, Ricardo Rehder Garcia, a estrutura que ganhou o prêmio é onde ficam as estadias da escola. As obras iniciaram em setembro de 2015 e terminaram em dezembro de 2016. “Os alunos passaram a morar nessas novas instalações em fevereiro de 2017, no início do ano letivo.”

Escola fica em Formoso do Araguaia, região sul do Tocantins — Foto: Divulgação

Os estudantes podem voltar para casa todos os fins de semana, desde que os pais os busquem. Os que ficam na escola durante o sábado e domingo participam de atividades como trilhas ecológicas e passeios de bicicleta. O diretor afirma que, durante a semana, alunos também participam de atividades extracurriculares.

“Nós temos a base comum curricular e temos atividades diversificadas. Aí vai desde oficinas esportivas, oficinas de teatro, dança. Várias atividades para complementar a proposta curricular da escola”.

Os alunos são crianças carentes da região e mais 40 estudantes são indígenas da aldeia Canuanã, que fica a 500 metros da escola, e de outras aldeias do estado. “O nosso critério de seleção são pessoas, prioritariamente, socioeconomicamente desfavorecidas. Depois das inscrições nós fazemos um filtro dentro dos nossos critérios, fazemos visita domiciliar, depois o candidato e família vêm à escola para uma entrevista. No fim de todo esse processo as crianças classificadas são comunicadas para realizar a matrícula”, explicou o diretor.

Escola ganhou prêmio internacional de arquitetura — Foto: Divulgação

Além de ser totalmente gratuita, a escola oferece assistência médica e odontológica, os estudantes fazem seis refeições por dia com acompanhamento de uma nutricionista e recebem também material didático e uniformes. Os alunos que passam pelo processo seletivo podem continuar na escola até o último ano escolar.

“A nossa evasão hoje é bem pequena. Desses 840 alunos, eu tenho 18 que evadiram esse ano. É bem pequeno, mas queremos baixar ainda mais. A gente tem o lema de: ‘nenhum aluno a menos”, disse Rehder.

Mais de 40 alunos são indígenas — Foto: Divulgação

Entenda

A escola rural brasileira concorria ao prêmio internacional com outras 20 construções, de 16 países e desbancou projetos de Budapeste, Milão e Tóquio, que estavam entre os quatro finalistas. Ao divulgar o vencedor, o Riba justificou a escolha pela escola brasileira por “exemplificar a excelência em design e a ambição arquitetônica e oferecer um impacto social significativo”.

No projeto, localizado na zona rural de Formoso do Araguaía, a 327 km de Palmas, foi feito um resgate cultural, com incentivo a técnicas de construção local, valorizando a beleza indígena e introduzindo noções de pertencimento, necessária para o desenvolvimento das crianças.

Mais de 840 alunos moram na escola que é de tempo integral — Foto: Divulgação

O objetivo era tornar o espaço um ambiente com valor de lar. Por isso, a escola foi organizada em duas vilas, uma masculina e outra feminina. Os dormitórios foram transformados em 45 unidades para seis alunos cada. A ideia de redução de alunos por quarto, era melhorar a qualidade de vida das crianças, mantendo a individualidade.

Na escola também há espaços de convívio como sala de TV, espaço para leitura, varandas, pátios e redários. Além de abrigar maior número de crianças, o objetivo das vilas é aumentar a autoestima das crianças.

O Riba não é o primeiro prêmio internacional conquistado pela ‘Aldeia das Crianças’. Em fevereiro, o projeto recebeu o prêmio de Arquitetura Educacional, da Building of the Year 2018.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui