Escolas da CDE1 participaram do II Circuito de Experimentos de Baixo Custo

Foto: Divulgação

As escolas que fazem parte da Coordenadoria Distrital de Educação 1 (CDE1) participaram da segunda etapa do II Circuito de Experimentos Baixo Custo de Ciências da Natureza das Escolas Estaduais do Amazonas. As apresentações dos trabalhos aconteceram no Instituto de Educação do Amazonas (IEA), durante a manhã de ontem quarta-feira, 18. A ação é promovida pela Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC), por meio do Departamento de Políticas e Programas Educacionais (Deppe).

Sob a orientação de seus professores, os alunos apresentaram seus experimentos para a comissão de professores avaliadores. A secretária Adjunta da Executiva Pedagógica, Luciana Lima de Brito Cáuper, prestigiou o evento e disse estar muito feliz em ver essa iniciativa nas escolas. “São atividades importantes. O professor é um pesquisador e está sempre inovando, buscando alternativas para que sua aula tenha um diferencial na escola”, enfatizou a secretária.

Foto: Divulgação

A coordenadora do Grupo de Trabalho Ciências Naturais (GTCN), Christiane Bertino, parabenizou a determinação dos professores e alunos. “Os professores estão de parabéns por incentivar os alunos a participarem desses experimentos, pois assim eles aprendem com gosto e vontade de saber exatamente o conceito e de que forma você vai olhar esse experimento na sua vida. Os alunos têm interesse de aprender e a curiosidade é estimulada pelo professor”.

Selecionados – Os experimentos da CDE1 que avançaram para próxima etapa do Circuito foram: na Categoria 3, a “Garra Hidráulica, apresentada pelos alunos do Colégio Brasileiro Pedro Silvestre, Keven Jonantan de Oliveira e Leonardo Siqueira, sob orientação da professora Samatha Katerini Soares Dias.

Foto: Divulgação

Na Categoria 4, venceu a “Conservação de Alimentos com uso de Aditivos químicos simples”, da Escola Estadual Farias Brito. O experimento foi apresentado pelas estudantes Adrielle da Silva e Maria Luisa Mota, e orientadas pelas professora Bárbara Castro Lapa.

O Colégio Brasileiro Pedro Silvestre também terá representante na Categoria 5, através dos estudantes Luciana Fonseca e Rafael Henrique Pinheiro, junto da mestra em Física Ana Maria Reis.

Satisfação – Leonardo Siqueira, 16, estudante do Colégio Brasileiro, conta do seu experimento e a satisfação de ter avançado de fase. “A gente tinha uma ideia inicial de fazer com o papelão. Esse papelão seria reciclável e a gente viu que ia ficar muito frágil, daí decidimos fazer com um papelão mais resistente, e procuramos algo inovador. Passamos alguns dias fazendo e tentamos por três vezes para sair esse resultado”.

Foto: Divulgação

A professora do 9º ano Samantha Katerini Carvalho ficou feliz com a colocação dos estudantes do Colégio Brasileiro. “São alunos esforçados, de uma turma sem tanta motivação. Com isso, eu fiz esse trabalho de experimentos com a turma toda e eles ganharam a premiação, que eu tinha feito com eles para o terceiro bimestre, então resolvi trazê-los para motivar ainda mais”.

Representação – A estudante Luciana Fonseca, 17, que também irá representar o Colégio Brasileiro, conta do seu experimento de “Física de Baixo Custo”. “Meu experimento falava do circuito elétrico, utilizamos matérias recicláveis, como mangueiras de diâmetro menor e maior para fazer um anel fechado, e dentro do anel ocorria o circuito elétrico. Desse circuito elétrico havia os elétrons que a gente representou com as sementes de açaí”, comentou.

O professor da escola Estadual Nossa Senhora Aparecida Alexandre Mariano ficou muito orgulhoso em saber que a escola ficou em primeiro lugar. “Isso é fruto do aprendizado. Nós podemos trabalhar com materiais de baixo custo e assim proporcionar uma aprendizagem equivalente. Espero que os alunos possam adquirir um conhecimento mais adequado tendo em vista o seu potencial de estudo”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui