Ex-prefeitos descontentes preveem nova eleição na AAM em 2020

Ex-prefeitos querem ser os novos inquilinos da Associação no próximo ano eleitora 2020 - foto: arquivo.

A eleição para a presidência da Associação Amazonense de Municípios (AAM) aconteceu em março desse ano para o biênio 2019/2021, mas poderá se repetir no próximo mês de maio de 2020 por força da Lei Eleitoral, que exige a desincompatibilização do presidente, vice-presidente, secretário geral e outros, caso eles queiram se reeleger às prefeituras municipais de origem.

Como o prefeito de Maués, Júnior Leite (PROS), que foi eleito presidente da AAM teria anunciou que pretende se candidatar à reeleição e na mesma situação, encontram-se o vice-presidente David Bermeguy Benjamin Constant, o 1º secretário, Anderson Cavalcante de Autazes e o 2º secretário Denize de Farias Lima de Itapiranga. Todos devem tentar a reeleição em 2020 e terão que deixar os cargos.

De olho nessa possibilidade, os insatisfeitos com o atual presidente da AAM, entre eles, prefeitos e assessores de ex-prefeitos já se movimentam para emplacar nomes em condições de concorrer a presidência da AAM. Entre eles o ex-prefeito de Benjamin Constant, Amauri Maia, o ex-prefeito de Borba, Careca Holanda e o ex prefeito Novo Airão, Wilton Santos.

Candidatura à vista

Animado com a notícia, mas com ressalvas, o ex-prefeito Wilton Santos disse para o portal que a sua vontade é a de candidatar-se à prefeitura de Novo Airão, onde pretende resgatar os projetos de interesse da população, interrompidos por um impedimento judicial. Ele está se viabilizando para isso, principalmente porque está vendo o município se fragmentando na mão do atual prefeito.

Os ex-prefeitos Amauri Maia e Careca Holanda não foram localizados para se posicionar, só o assessor de Amauri, Edson Sampaio, que confirmou a intenção dos ex-prefeitos.

Prorrogação dos mandatos

Para a assessoria da AAM, a renúncia da diretoria é uma coisa normal. Já aconteceu com deputado Sidney Leite, com o ex-prefeito de Itamarati, que no governo Amazonino foi convidado a assumir o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (IDAM) e posteriormente se candidatou a deputado federal.

Quem assumiu na época foi o atual prefeito de Rio Preto da Eva, Anderson Sousa, com um mandato tampão.

Também está na previsão e desejo da atual diretoria da AAM, a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC), 56/19, de autoria do deputado Rogério Peninha Mendonça (MDB-SC), que prorroga por dois anos os mandatos dos atuais prefeitos e vereadores eleitos em 2016, adiando o término para 2023, mesmo ano em que se conclui os mandatos dos governadores, deputados federais e estaduais eleitos em 2018.

Sendo assim, “eles não estão preocupados porque está muito longe para a eleição de 2020 e mais ainda se prorrogar os mandatos dos prefeitos”, finalizou.

Por outro lado, confirmou a assessora de comunicação da AAM, Bets Bell, nem o presidente e nem o vice-presidente estão preocupados com eleição, nem da Associação e nem as municipais. “Ainda está muito longe para se pensar nisso”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui