Executivos da Lava Jato serão levados a julgamento em junho

Roberto Costa preso por lavagem de dinheiro/Foto: Reprodução
Roberto Costa preso por lavagem de dinheiro/Foto: Reprodução
Roberto Costa preso por lavagem de dinheiro/Foto: Reprodução

A Justiça Federal, em Curitiba, deve começar nesta semana os interrogatórios de 25 dirigentes e executivos das empresas Camargo Corrêa,  Engevix, Galvão Engenharia, Mendes Júnior, OAS e UTC, para cumprir o cronograma e começar a expedir, a partir de junho, as primeiras sentenças nas cinco ações penais dos envolvidos na Operação Lava Jato da Polícia Federal.
Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, essas seis serão as primeiras julgadas no processo contra 16 empresas apontadas como integrantes do cartel nos contratos com a Petrobras.  Essas ações foram abertas em dezembro de 2014, após as denúncias do Ministério Público Federal serem aceitas pelo juiz Sérgio Moro.

Na última semana, os réus Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da estatal, e o doleiro Alberto Youssef foram os primeiros a prestarem depoimento ao juiz. Na ocasião, Costa admitiu que “nos contratos envolvendo o cartel, a propina era generalizada”. Na opinião dos investigadores, os executivos das companhias têm pouca chance de escapar das condenações de corrupção ativa e lavagem de dinheiro em primeira instância.

Os executivos e as empresas ainda serão acusados formalmente por crimes de formação de cartel, fraudes em processos licitatórios, itens ainda não inclusos no pacote. É estimado que o esquema de corrupção na Petrobras tenha lesado a petrolífera em US$ 6 bilhões.

Os investigadores ainda afirmam que a recente decisão do Supremo Tribunal Federal de conceder prisão domiciliar a nove investigados não muda as acusações contra os executivos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui