Extrativismo do ouro responde por 30% da economia de Novo Aripuanã

Foto: Divulgação

O extrativismo do ouro responde por até 30% da economia de Novo Aripuanã, de acordo com informações do prefeito do município, Jocione Souza. A afirmação foi divulgada durante a reunião que aconteceu ontem (1/12) com a bancada amazonense, em Brasília, sobre a extração de ouro no rio Madeira.

E Participaram da reunião presidente pelo senador Omar Aziz os prefeitos de Humaitá, Dedei Lobo; o prefeito de Borba, Simão Peixoto; e o vice-prefeito de Manicoré, Paulo Sérgio.

De acordo com o prefeito Jocione, houve um entendimento entre todos que participaram da reunião de que os garimpeiros instalados na região do Madeira são pais de família e atuam no garimpo há anos. “Em Novo Aripuanã o garimpo responde por até 30% da economia do município, gera dezenas de empregos que envolve até 200 famílias. São pais e mães que sustentam suas famílias do extrativismo”, detalhou.

O prefeito de Novo Aripuanã disse também que se chegou ao consenso de que é preciso suspender a operação da Polícia Federal na região e se deve entrar em entendimento com o governo federal. “Propusemos um diálogo com os ministérios do Meio Ambiente e da Justiça para regularizar e regulamentar de alguma forma a atividade dos garimpeiros no Madeira”, disse.

O desdobramento da reunião rendeu um requerimento na Câmara e Senado federal e serão realizadas audiências públicas nos quatro municípios envolvidos para que a população seja ouvida e a situação fique mais transparente para o governo. No dia 7 de janeiro, as audiências serão em Humaitá e Manicoré e, no dia 8 de janeiro, em Novo Aripuanã e Borba.

Apoio – Ontem, De Madri, na Espanha, onde participa do encontro da União Interparlamentar (UIP), O deputado federal Átila Lins (Progressistas-AM) manifestou apoio aos prefeitos e ao povo dos municípios do rio Madeira sobre o tema.

“Espero que a reunião dia prefeitos do Rio Madeira com a bancada parlamentar renda o suficiente para que seja compreendida a questão na região e se possa atender também as demandas de quem precisa do garimpo como fonte de tenda familiar, pintou Átila Lins.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui