Fisioterapia disponibilizada no HPS da Zona Norte reduz tempo de internação

Paciente faz sessões de fisioterapia/Foto: Divulgação HPS Zona Norte

Sessões de fisioterapia durante a internação contribuem para a recuperação mais rápida de pacientes e podem evitar o agravamento de doenças. Desde a inauguração em 2014, a equipe de fisioterapia do Hospital e Pronto-Socorro (HPS) da Zona Norte já realizou mais de 20 mil procedimentos deste tipo.

Segundo a coordenadora da fisioterapia do HPS da Zona Norte, Fernanda Marques, o paciente que faz as sessões evita o acumulo de secreção e melhora a mobilidade.

“Quando o paciente fica muito tempo acamado, ocorre a perda de massa muscular comprometendo a qualidade e funcionalidade, a imobilidade do paciente levará a um tempo maior para retornar às atividades da vida diária. O tempo de internação para quem não faz fisioterapia será maior. A fisioterapia reduz o tempo de uso da respiração mecânica (um procedimento para pacientes com insuficiência respiratória), previne outras complicações respiratórias, e, também, reduz o tempo de internação”, descreve a fisioterapeuta. A unidade, ainda para pacientes graves, usa um método menos invasivo que a intubação: a ventilação não-invasiva (VNI).

Paciente faz sessões de fisioterapia/Foto: Divulgação HPS Zona Norte

A fisioterapeuta Fernanda Marques ressalta que uma equipe multidisciplinar avalia cada paciente que chega à internação e, quando identifica a necessidade, a equipe solicita a fisioterapia. As sessões são diárias e ocorrem duas vezes ao dia. Dependendo do caso, os pacientes recebem, também, orientações de atividades que podem fazer em horários diferentes das sessões como movimentos e exercícios de respirações.

No HPS da Zona Norte, podem ser aplicadas dois tipos de fisioterapia, a respiratória ou a motora, explica Fernanda. “Trabalhamos com movimento de deambulação, que é a caminhada; exercícios respiratórios e estimulamos a tosse. Muitas vezes esses pacientes têm muita secreção no pulmão e não conseguem expectorar, que é colocar para fora. Por isso, estimulamos a tosse”, disse.

No tratamento, os pacientes são mudados da posição de repouso, colocados sentados, de pé e para caminhar.
“Desse modo, conseguimos evitar que esse paciente fique muito tempo acamado, prevenindo um maior acometimento respiratório e funcional”, disse.

Administrado pela organização social Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento (Imed), o HPS Zona Norte integra a rede de hospitais e prontos-socorros gerenciados pela Secretaria de Estado da Saúde (Susam).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui