Fórum das Águas debate privatização do saneamento básico

Foto: Reprodução

A preocupação gerada pela pandemia da Covid-19 e pelo histórico de doenças ligadas à falta de saneamento básico. Como leptospirose, febre tifóide, cólera, além do agravamento das epidemias tais como a dengue, é um dos fatores que serão debatidos durante a live “A privatização do saneamento na Amazônia e a luta contra o PL 4.162/19”, promovida pelo Fórum das Águas. Conforme estudos da Fundação Oswaldo Cruz, o novo coronavírus já pode ser encontrado em águas de esgoto. A evidência aponta para possibilidade de que a falta de tratamento de esgoto na maioria das cidades brasileiras seja um fator que possa colaborar para a disseminação da covid-19.
O Projeto de Lei 4162/19, proposto pelo Governo Federal, facilita a privatização das empresas estatais do setor. Em vias de ser votado pelo Senado Federal, a medida promove a inviabilidade de abastecimento de locais com pouca atratividade para a iniciativa privada, ao acabar com o subsídio cruzado, pelo qual, áreas com maior renda atendidas pela mesma empresa financiam parcialmente a expansão do serviço para cidades menores e periferias.
Atualmente, 48% da população não tem acesso à rede tratamento de esgoto, segundo o Instituto Trata Brasil. No norte do país, esse número sobe para 90%. Enquanto no Sudeste, apenas 17% dos cidadãos não têm acesso ao serviço.
O evento virtual acontece nesta terça-feira (9) e será transmitido pelo facebook do coletivo (@forumdasaguasam), no link: https://bit.ly/PrivatizaçãoDaÁguaNão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui